uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante

Bombeiros da Chamusca isentos de IMI

Presidente da câmara, Paulo Queimado, fez num mês aquilo que não quis fazer em dois anos. Bombeiros já não vão pagar IMI dos dois blocos de apartamentos.

Edição de 07.11.2018 | Política

Os Bombeiros Voluntários da Chamusca viram finalmente a isenção do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), que tinham solicitado desde 2017, aprovada pelo executivo da Câmara da Chamusca. A proposta foi à reunião de câmara de terça-feira, 30 de Outubro sendo aprovada por unanimidade.
A proposta foi apresentada por Paulo Queimado que estava para levar o assunto ao executivo da câmara municipal desde Março de 2017, altura em que, diz o presidente dos bombeiros, José Monteiro, foi feita a promessa de isentar do imposto dois blocos de apartamentos, na Quinta do Nicho, que são propriedade da associação humanitária.
A proposta foi apresentada quase no fim da reunião, pelo próprio presidente da câmara, que se limitou a anunciar a mesma sem a ler ou dar qualquer explicação aos vereadores.
Foi votada sem discussão e sem comentários apesar da polémica instalada. Os vereadores do PSD e da CDU limitaram-se a aprovar sem pestanejarem. As promessas começaram em Março de 2017 e mantiveram-se em 2018, segundo contou José Monteiro, mas foi conversa fiada e nem diálogo mantiveram com os Bombeiros da Chamusca.
Paulo Queimado ainda tentou limpar a sua imagem junto dos bombeiros voluntários, por causa da isenção do IMI, ao realizar uma entrega de material à corporação, numa cerimónia menosprezada pelo presidente dos bombeiros, que não esteve presente.
Em declarações a O MIRANTE, José Monteiro disse que primeiro tem a sua vida e depois é presidente dos bombeiros. O caso do IMI, levantado na assembleia municipal de 28 de Setembro, continuava por resolver. Só depois das duras críticas do presidente dos bombeiros é que Paulo Queimado levou a proposta de regulamento para isentar os bombeiros do Imposto Municipal sobre Imóveis.
O presidente, que cumpre o primeiro mandato de quatro anos, tinha dito em Setembro a O MIRANTE que por causa de se sentir enganado com a promessa não cumprida não pretendia recandidatar-se. “Eles que tomem conta dos bombeiros porque comigo já não brincam mais”, disse na altura o dirigente.

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...