uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Última Página: Livros para oferecer no Natal

O autor desta crónica espera todos os anos pelas listas dos melhores filmes e dos melhores livros do ano como uma criança aguarda pelas prendas do pai Natal;

Edição de 21.12.2018 | Opinião

O autor desta crónica espera todos os anos pelas listas dos melhores filmes e dos melhores livros do ano como uma criança aguarda pelas prendas do pai Natal; Desta vez atrevo-me também a sugerir livros que me marcaram e que eu acho que todos devem ter em conta na hora de se prendarem a si próprios ou às pessoa dos seus afectos.

Memórias de Adriano e A Obra ao Negro de Marguerite Yourcenar. O primeiro é um texto maravilhoso sobre o conhecido Imperador; o livro aborda todos os aspectos da vida humana, não deixando de fora nem o sono. O segundo é uma biografia de um herói do século XVI atraído pelo hermetismo e a ciência. Dois livros para que um Homem se descubra a si próprio e nunca mais se perca na vida.

A Louca da Casa de Rosa Montero. É já um clássico embora tenha sido editado há uma dúzia de anos. Se o leitor não engrenar na leitura é porque está cansado; durma uma noite tranquila e volte no dia seguinte para se redimir.

As Idades de Lulu de Almudenas Grandes. É um livro que recomendo a quem acha que a literatura erótica é toda ao nível da E.L. James ou do grande Henry Miller.

O Mundo de Ontem de Stefan Zweig. Uma autobiografia de um dos maiores escritores e biógrafos da literatura mundial que viveu e morreu no Brasil. Quem o ler nunca mais vê o mundo da mesma forma.

Memorial do Convento de José Saramago. O melhor livro do autor de Pequenas Memórias; Cuidado com as aparências: não há bons livros fáceis de ler. Se não conseguir entusiasmar-se à primeira leitura experimente uma segunda ou uma terceira vez. O esforço vale a pena.

À Beira do Corpo de Walmir Ayala. Um romance fascinante que se lê em dois dias e que conquistou ao longo das últimas cinco décadas várias gerações de leitores.

Um Homem Querendo Vender Sua Morte de Eliezer Moreira. Um romance premiado de autor brasileiro que tem um personagem chamado Antônio Finaflor, filho natural – obviamente imaginário – de certo empresário português da indústria de fumo estabelecido em São Félix, na Bahia.

“Um Deus passeando pela brisa da tarde” de Mário de Carvalho. Um livro para quem acha que um dia também vai ser escritor. Uma viagem à língua portuguesa com uma mestria incomparável na língua de Camões.

E como o espaço não dá para mais: toda a poesia de Ruy Belo, Jorge de Sena e Sofhia; As Canções de Bilitis de Pierre Louys; Walden ou a vida na floresta de Henry David Thoureau. JAE

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...