uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Luís Manuel Messias Esperança
foto DR Luís Manuel Messias Esperança Comercial de loja - Pregimac, Ldª., 51 anos, Atalaia, Vila Nova da Barquinha

Luís Manuel Messias Esperança

Comercial de loja - Pregimac, Ldª., 51 anos, Atalaia, Vila Nova da Barquinha

Edição de 23.01.2019 | Agora Falo Eu

Alguma vez sentiu orgulho em ser cidadão europeu? É um misto de sensações. Por um lado é um orgulho pertencer ao continente que é o berço da cultura ocidental, dos direitos do homem, da democracia, etc, mas por outro lado é uma desilusão que a Europa actual se baseie em interesses económicos, guerras de poder, populismo e insegurança.

Se pudesse passar tempo com alguma personalidade, mesmo já desaparecida, quem escolheria? Depende do estado de espírito. Convidaria Fernando Pessoa nos meus dias de descoberta do eu, do ser. E Keith Richards (Rolling Stones) quando não quero levar a vida muito a sério.

Fazem falta mais mulheres na política? Para mim o importante é serem pessoas credíveis e honestas. Sabemos que a política mundial é dominada pelos homens mas ao longo dos tempos sempre houve grandes mulheres nos destinos da humanidade. Acho importante o papel da mulher na política como noutras áreas da sociedade.

Gosta de comemorar o seu aniversário? Qual o melhor presente que já recebeu? Gosto pelo simples facto de que estou vivo. Quanto aos presentes, não faço distinção. Todos têm o mesmo valor sentimental.

Ler jornais é saber mais? Sim, os jornais são uma fonte de informação. O papel de um jornal deveria ser sempre o de informar e educar. No entanto, há jornais que desvirtuam a informação útil e dão mais destaque ao sensacionalismo.

Qual a tradição que nunca podemos deixar morrer? As tradições são temporais e geracionais, perduram no tempo enquanto fizerem sentido para uma dada sociedade.

Gosta de uma boa discussão? Sim, gosto de pôr e contrapor opiniões mas sempre num diálogo positivo e construtivo.

Prefere dar ou receber? Dar e receber deveria fazer parte da vida de todos nós, normalmente recolhemos o que semeamos. Eu sinto-me muito bem quando contribuo com algo que tem influência positiva na vida de alguém.

Quais as qualidades que mais aprecia numa pessoa? Honestidade e sinceridade.

O que tem que fazer um homem para ser um verdadeiro homem? Tem de ser ele próprio. Não há verdadeiros homens, há simplesmente homens. A classificação é a sociedade que impõe, tal como as regras, os mitos, as discriminações, etc...

Alguma vez escreveu um poema? Sim, vários, gosto de escrever pensamentos que se tornam contos no imaginário da noite.

Era capaz de viver sem música? De maneira nenhuma, não consigo imaginar a vida sem banda sonora. Pertenço à organização de eventos ligados à música e outras áreas como a dança, numa associação que se chama Clube Instrução e Recreios ex-Tuna que faz 98 anos de existência este ano e situa-se em Moita do Norte, Vila Nova da Barquinha.

Conseguia viver sem telemóvel? Hoje seria difícil porque a vida é mais rápida e os telemóveis não são só um meio de comunicação, são entretenimento, ferramenta de trabalho, etc... Mas pertenço a uma geração que viveu sem telemóveis e por isso acredito que talvez sobrevivesse.

Durante quanto tempo é capaz de guardar um segredo? Um segredo guarda-se para sempre.

Gosta de votar? Votar é um direito cívico embora por vezes a sensação que fica é que nada muda, continuamos a fazer fila para pôr uma cruz no papel, mas quem fica a carregar a cruz somos nós.

Fecha a água enquanto escova os dentes ou quando se ensaboa no banho? Tento não me esquecer desses pormenores e fazer disso um hábito.

Alguma vez deu sangue? Nunca dei sangue porque nunca surgiu a oportunidade mas é algo que terei de fazer.

Quantos verdadeiros amigos acha que tem? Um amigo é sempre um amigo. Mesmo após muito tempo separados e sem contacto, quando nos reencontramos é como se tivéssemos estado juntos no dia anterior.

Se vir alguém deitar lixo para o chão diz-lhe alguma coisa? Fico tentado a dar uma lição de civismo porque é uma coisa que não suporto mesmo.

Costuma fazer exercício físico? Em casa ou no ginásio? Pratico karaté na EKE no Entroncamento, um misto de exercício físico e mental. Convido toda a gente a experimentar, é uma filosofia de vida.

Luís Manuel Messias Esperança

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...