uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Cegada de Alverca estreou “Casal Aberto” de Dario Fo
foto DR Eurico Lopes e Susana Sá interpretam até 10 de Fevereiro um “Casal Aberto” em Alverca

Cegada de Alverca estreou “Casal Aberto” de Dario Fo

Peça está em cena até domingo, 10 de Fevereiro, no Teatro-Estúdio Ildefonso Valério em Alverca do Ribatejo.

Edição de 13.02.2019 | Cultura e Lazer

Estreou na última semana no Teatro Estúdio Ildefonso Valério (TEIV), em Alverca do Ribatejo, a casa da companhia artística Cegada, a peça “Casal Aberto” de Dario Fo, com interpretação dos actores Eurico Lopes e Susana Sá. As duas primeiras sessões tiveram lotação esgotada e na noite de estreia compareceram diversas personalidades ligadas ao teatro e à televisão. Tito Lívio, Sónia Claúdia, os intérpretes Carlos Vieira de Almeida e Io Appoloni (que em 1986 levaram este texto à cena pela primeira vez em Portugal) foram algumas das personalidades presentes.
Rui Dionísio, director artístico da Cegada, assina esta criação e explica a
O MIRANTE que a obra já estava a ser trabalhada pelos alunos da Universidade Sénior, que se juntaram aos alunos do Núcleo de Teatro da Secundária Gago Coutinho, para participarem nos trabalhos realizados com actores profissionais. “Estiveram nos primeiros ensaios de mesa, depois no trabalho de palco, até à récita final apresentada em estreia. Isto é um funcional exemplo de serviço público de educação e cultura”, refere o encenador.
O texto expõe o universo de um casal onde um homem, por via dos continuados relacionamentos extraconjugais, provoca um constante estado de sofrimento e depressão à sua esposa. Com o alegado objectivo de lhe minimizar o sofrimento de um relacionamento já há muito disfuncional e culturalmente apoiado na convenção social de género que dificultará qualquer alteração comportamental à mulher, propõe à sua esposa que se tornem um “Casal Aberto” a outros relacionamentos.
Depois de realistas cenas de violência física, verbal e manipulação psicológica, e finalmente ultrapassadas as barreiras sociais exclusivas à mulher que a impedem de ter os mesmos comportamentos do homem, a peça propõe um ensaio sobre uma verdadeira igualdade de género.
Esta criação, financiada pela Câmara Municipal de Vila Franca de Xira e pela Direcção-Geral das Artes, estará em cena até domingo, 10 de Fevereiro, no Teatro-Estúdio Ildefonso Valério em Alverca do Ribatejo.

Cegada de Alverca estreou “Casal Aberto” de Dario Fo

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...