uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Autarcas da Chamusca indignados com o Governo por causa do IC3
Transporte de resíduos para o Eco Parque do Relvão é feito por dentro de localidades

Autarcas da Chamusca indignados com o Governo por causa do IC3

Em causa está a ausência desse projecto no Plano Nacional de Investimentos 2030. Vereadores referem que o Governo trata mal a Chamusca e que só vê o concelho como depósito de lixo. Presidente da câmara ameaça mesmo bloquear o acesso ao Eco Parque do Relvão.

Edição de 13.02.2019 | Sociedade

O presidente da Câmara da Chamusca, Paulo Queimado (PS), ameaça bloquear o acesso ao Eco Parque do Relvão, com o objectivo de impedir o despejo de resíduos industriais nesse complexo, provenientes de todo o país, como forma de protesto pelo facto de o projecto de conclusão do IC3 não estar contemplado no Programa Nacional de Investimentos (PNI) 2030.
Para o autarca, o Governo, que é da sua cor política, não está a ter consideração pela região, recordando que todos os dias o município “resolve problemas” do país inteiro. “Basta encerrar uns dias o acesso ao Eco Parque do Relvão e quero ver como resolvem o problema que se vai gerar e onde vão deitar o lixo”, disse.
Paulo Queimado incita mesmo a população a ir para a rua manifestar-se. “Se houver uma grande manifestação popular eu estarei na linha da frente a lutar por esta causa”, referiu o autarca na última reunião de câmara, realizada a 22 de Janeiro.
Recorde-se que o Eco Parque do Relvão, situado na freguesia da Carregueira, acolhe resíduos industriais, hospitalares e industriais perigosos, provenientes de todo o país. “Foi-me dito que o documento ainda não está completamente encerrado e que está ainda em aberto para inclusão de novos projectos. Vou lutar até ao fim para que este projecto seja, de uma vez por todas, incluído” no PNI 2030, garantiu Paulo Queimado.
A obra, reclamada há mais de 20 anos, é vista como uma necessidade estruturante por todas as cores politicas da região. O PNI 2030 é o instrumento de definição das prioridades de investimentos infraestruturais estratégicos de médio e longo prazo, nos sectores da Mobilidade e Transportes, Ambiente e Energia.

“O PS está a fazer favores à presidente de Abrantes”
O desagrado foi manifestado também pelos vereadores da oposição, com Rui Rufino (da coligação liderada pelo PSD) a referir que o Governo não tem feito mais do que tomar opções políticas que favorecem as zonas de maior densidade populacional e favores a quem está ao lado do primeiro-ministro António Costa.
A presidente da Câmara de Abrantes e da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, Maria do Céu Albuquerque (PS), que faz ainda parte do Secretariado Nacional do PS, foi a figura apontada por Rui Rufino. “O PS trata mal a Chamusca. Continua a fazer os favores à senhora presidente de Câmara de Abrantes, que nunca fez rigorosamente nada para o merecer”, considerou.
Para a CDU, esta notícia também não foi bem recebida, com a vereadora Gisela Matias a sublinhar a ideia de que para o Governo “só servimos para receber lixo”. A vereadora recordou que o IC3 é uma infraestrutura fundamental para o desenvolvimento de três concelhos da região e que todos os municípios estão unidos nesta luta.

Autarcas da Chamusca indignados com o Governo por causa do IC3

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...