Sociedade | 06-12-2004 11:51

Movimento contra aumento dos passes sociais

O Movimento de Utentes dos Serviços Públicos (MUSP) contestou esta segunda-feira os novos aumentos dos passes sociais revistos para o início do próximo ano, considerando que é "mais uma medida penalizadora dos direitos dos utentes".O Diário de Notícias avança na edição desta segunda-feira que os passes sociais vão aumentar cinco a seis por cento no início do próximo ano.De acordo com o jornal, a primeira subida será já em Janeiro e resulta da revisão trimestral do tarifário decorrente da flutuação do preço do gasóleo e a segunda será em Fevereiro e é a habitual actualização anual de ajustamento à inflação esperada."Este aumento dos transportes constitui mais uma medida penalizadora dos direitos dos utentes", disse à Agência Lusa o porta- voz do MUSP, Carlos Braga.O representante do movimento de utentes considera que este aumento vai prejudicar "o poder de compra dos portugueses" e prometeu uma forte oposição do MUSP a esta medida."Quando a inflação prevista é de 2,5 por cento e quando os passes aumentam cinco a seis por cento só demonstra que não é verdade aquilo que dizem de que os trabalhadores não vão continuar a perder o poder de compra", sustentou.Para Carlos Braga, este aumento demonstra ainda que "as revisões que se fazem têm sempre a intenção de aumentar e nunca reduzir os preços dos transportes, independentemente dos valores dos combustíveis baixarem com a liberalização dos preços".O Movimento dos Utentes dos Serviços Públicos engloba, desde o ano passado, todas as associações e comissões de apoio dos serviços públicos de todo o país.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo