Sociedade | 26-12-2004 16:21

Bebé portuguesa desapareceu no maremoto da Tailândia

Uma bebé portuguesa de oito meses está desaparecida em Phuket, Tailândia, em consequência dos maremotos que maratam mais de 7 mil pessoas.

Uma bebé portuguesa de oito meses está desaparecida em Phuket, Tailândia, em consequência dos maremotos que atingiram a ilha após o sismo que abalou o sudeste asiático na manhã de hoje, afirmou à agência Lusa fonte próxima da família.A bebé, filha de dois portugueses que residem em Macau, foi arrancada dos braços da mãe por uma onda gigante que atingiu a praia onde se encontravam numa estância balnear.Os pais da criança, residentes em Macau há muitos anos, estão incontactáveis.Entretanto, o Governo português anunciou a sua disponibilidade para, no âmbito das iniciativas preparadas pela União Europeia, apoiar as vítimas dos maremotos que afectaram o sudeste asiático matando mais de 7.000 pessoas.A Comissão Europeia desbloqueou também uma ajuda imediata de 3 milhões de euros às vítimas do sismo e dos consequentes maremotos que hoje mataram mais de 7.000 pessoas em sete países do sudeste asiático.A Comissão Europeia também está em contacto com a Cruz Vermelha/Crescente Vermelho e com Organizações Não Governamentais responsáveis pela distribuição de ajuda, indicou Louis Michel.Os 3 milhões de euros agora desbloqueados destinam-se a "cobrir as necessidades iniciais vitais", sendo concedida uma "assistência substancial" quando "for melhor conhecida a extensão das necessidades", segundo o comunicado.Mais de 7.000 pessoas morreram hoje em cinco países, vítimas de violentos maremotos que varreram as costas do Oceano Índico, após um sismo registado ao largo da ilha indonésia de Sumatra e considerado o maior dos últimos 40 anos.Segundo os últimos balanços provisórios, além dos mortos, existem milhares de feridos e milhões de desalojados no Sri Lanka, na Índia, na Indonésia, na Tailândia e na Malásia.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo