Sociedade | 26-12-2004 09:55

Primeiro-Ministro exorta à esperança em mensagem de Natal

A mensagem televisiva de Natal do primeiro-ministro, Pedro Santana Lopes, foi dominada pelo apelo aos portugueses para que tenham esperança no futuro, fazendo mesmo uma referência a uma «política mais bonita».O chefe de Governo admitiu o sentimento geral de crise, aludindo a que muitos portugueses se sentem preocupados, mas pediu- lhes «esperança reforçada».Ao enumerar os diversos destinatários da sua mensagem (doentes, presos e os que trabalham no feriado), o chefe do Governo especificou em concreto «aqueles que estão em prisão preventiva há anos».Afirmando que o Natal é um período em que geralmente as pessoas se viram para dentro de si próprias e se lembram daqueles que «pior» lhes fizeram, Santana Lopes sugeriu compreensão, afirmando «pedir a todos que sejam particularmente compreensivos com a diferença».Dirigindo-se aos mais carenciados, confessou que gostaria de resolver os seus problemas «num golpe de mágica».Ser primeiro-ministro, disse ele, é também «um exercício, uma prova» de tolerância, de resistência e de entrega ao trabalho.Neste momento, admitiu, é hábito os portugueses dizerem mal de si próprios, mas é preciso que tenham orgulho em si mesmos, tanto mais que, ao longo de oito séculos de História, «Portugal sempre soube fazer das fraquezas forças».

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo