Sociedade | 07-01-2005 17:47

Suinicultura irrita vizinhança

Pela terceira vez, em quatro anos, a população da Coutada Velha, concelho de Benavente, volta a insurgir-se contra a alegada poluição provocada por uma suinicultura existente, na estrada do Miradouro, junto ao Aviário do Freixial. Em causa está o mau cheiro e a poluição de cursos de água naquele lugar da freguesia de Benavente.A Comissão de Melhoramentos, União e Progresso da Coutada Velha diz que a situação é insuportável, e já fez chegar o terceiro abaixo-assinado da população junto de várias entidades que regulam o sector. Segundo Vítor Oliveira, presidente da comissão, “a poluição dos cursos de água acontece porque a fossa onde são despejados os dejectos dos animais está sempre a transbordar”. Os efluentes seguem por vários cursos de água e acabam por ir desaguar ao rio Almansor, junto à fábrica de papel, do outro lado da EN118. O local contém vários pavilhões, onde estão centenas de porcos. No entanto, a única fossa existente está a céu aberto, e, segundo os queixosos “não é tratada convenientemente”.Além da Câmara Municipal de Benavente estar informada da situação, os representantes da população já receberam resposta duma exposição feita junto dos Serviços de Gestão Ambiental do Ministério do Ambiente. Este organismo diz desconhecer a existência dessa suinicultura. Numa carta enviada à comissão de moradores diz apenas conhecer uma outra suinicultura existente também na Coutada Velha, mas que segundo a comissão “não provoca atentados ambientais”. A Inspecção-Geral das Actividades Económicas (IGAE) e o Serviço Central do Ministério da Economia também foram contactados. No entanto, os moradores ainda não receberam qualquer resposta destas duas entidades.Em determinados dias da semana, o mau cheiro é tão intenso que os moradores não podem sair de casa sem antes fecharem convenientemente portas e janelas. Segundo Pedro Martins, “há dias que não se consegue entrar em casa porque o mau cheiro entra para o interior das habitações”. Para este responsável pela Comissão de Melhoramentos, União e Progresso da Coutada Velha, “não é só o rio que está poluído, são também os lençóis de água daquela zona”. Na Coutada Velha existem muitos furos para a rega e para consumo próprio. Pedro Martins questiona ainda como seria se todas as “fossas existentes naquele lugar fossem despejadas para terrenos e para o rio”.A viver com o mau cheiro e a insegurança da saúde pública há oito anos, a população diz-se cansada de tanto esperar sem que nada seja feito para a melhoria da qualidade de vida das populações do local. Pedro Martins vai mais longe e diz que caso a situação não seja resolvida, não coloca de lado encontrar outras formas de protesto. “Um corte de estrada junto à suinicultura poderá ser uma das hipóteses”, adianta o queixoso.O vereador responsável pelo ambiente na Câmara Municipal de Benavente, Manuel dos Santos (CDU) diz conhecer muito bem esta situação porque já fez várias reuniões com a comissão. O autarca refere que este assunto não é da competência da Câmara Municipal de Benavente. “Só poderá ser resolvido pelo Ministério do Ambiente”. No local já estiveram técnicos do ambiente. O relatório feito pelos inspectores, há cerca de três anos, refere que o cheiro estava dentro dos parâmetros da legislação ambiental. No entanto, o autarca diz-se sensível a este protesto da população da Coutada Velha e garantiu voltar a analisar a situação juntamente com o Ministério do Ambiente. Manuel dos Santos vai voltar a pedir uma inspecção do ministério àquela suinicultura. Apesar de várias tentativas para conversar com os responsáveis pela suinicultura, O MIRANTE não conseguiu obter a sua versão.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo