Sociedade | 16-01-2005 11:41

Justiça célere produziria 13 mil milhões de euros e aumento de 11% do PIB

Um estudo sobre o funcionamento da justiça portuguesa concluiu que uma justiça mais célere poderia produzir 13 mil milhões de euros para Portugal, equivalente a um aumento de 11 por cento do Produto Interno Bruto.A notícia, que faz manchete no Jornal de Notícias, refere que uma justiça mais célere levaria os empresários a investir mais, a arriscar mais emprego e a baixar os preços das transacções."Tendo em conta que o Produto Interno Bruto (PIB) vale hoje cerca de 130 mil milhões de euros, uma justiça mais célere poderia somar cerca de 13 mil milhões de euros à riqueza produzida pelo País", lê-se no matutino.A conclusão é de um estudo de 2003 levado a cabo por Célia Costa Cabral, investigadora da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa.O trabalho - que se baseou num inquérito lançado aos empresários portugueses sobre o funcionamento da justiça portuguesa - concluiu que a justiça é "muitíssimo lenta, é cara e as decisões são imprevisíveis, apesar de, normalmente, imparciais"."A morosidade, o principal ponto negativo apontado, leva a uma natural contracção do investimento em Portugal e funciona como um obstáculo ao crescimento do País", segundo a investigação.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo