Sociedade | 20-01-2005 09:52

Nersant quer medidas de apoio ao investimento

A Associação Empresarial da Região de Santarém (Nersant) vai propor aos partidos políticos, a partir desta quarta-feira, medidas que dêem às empresas do distrito condições similares às das restantes regiões do país."Queremos que os deputados assumam um compromisso público" com a região, onde o investimento caiu para os índices mais baixos dos últimos 10 anos, afirmou o presidente da Nersant, José Eduardo Carvalho, sublinhando que está a ser equacionado um abaixo-assinado como forma de pressionar o próximo Governo.José Eduardo Carvalho não se conforma com a ausência de incentivos ao investimento na Lezíria e Médio Tejo, penalizadas pelo facto de se encontrarem ligadas a Lisboa, cujos índices de desenvolvimento levaram a que Bruxelas retirasse a Região de Lisboa e Vale do Tejo do grupo das mais carenciadas.Este facto impede as empresas do distrito de acederem a fundos de que outros, "a 30 quilómetros de distância", dispõem.Exasperado com a ausência de respostas às diligências que a Nersant tem desenvolvido junto do Ministério da Economia desde 2002, com propostas que, segundo disse, não levariam a aumentos da despesa pública, José Eduardo Carvalho não esconde que o acordo alcançado em 7 de Dezembro com o Ministério das Actividades Económicas "é insuficiente", além de que, desde então, não teve qualquer avanço com vista à sua concretização.Pegando nesse acordo, que reforça o fundo de contra-garantia mútuo para suporte das garantias prestadas às empresas pelas Sociedades de Garantia Mútua, a Nersant começa hoje a entregar aos candidatos a deputados pelo distrito às legislativas de 20 de Fevereiro uma proposta no sentido da bonificação da taxa de juro em financiamentos bancários contraídos para a realização de investimentos e do pagamento dos custos com as garantias bancárias, medidas a financiar a partir do Fundo de Desenvolvimento Empresarial ou do Orçamento de Estado.Por outro lado, a Nersant propõe-se diversificar as estruturas de financiamento e reforço dos capitais próprios através da promoção de uma Sociedade de Capital de Desenvolvimento que apoie as iniciativas empresariais através da participação no capital social.Propõe ainda uma medida de apoio a projectos que melhorem a competitividade das empresas através de factores não directamente produtivos, como o design, a qualidade, a energia, o ambiente, a aplicação de tecnologia a nível da concepção do produto, a presença em mercados internacionais, organização interna nos domínios da Inovação e Desenvolvimento, a saúde e segurança dos trabalhadores e a integração de quadros de elevado potencial.Considerando "escandaloso" o que se passa em termos de apoio ao investimento no distrito, José Eduardo Carvalho sublinhou que a Nersant não se tem limitado a denunciar a situação, mas tem sempre apresentado propostas e desenvolvido iniciativas.Lusa

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo