Sociedade | 03-02-2005 12:46

Viver no meio do lixo com cem animais

Uma mulher doente vivia há vários anos numa casa sem água, sem luz e no meio de mais de uma centena de animais. Um cenário de imundície em pleno centro do Cartaxo que obrigou à intervenção da câmara e da associação protectora de animais.Os voluntários da Associação de Protecção dos Animais Abandonados do Cartaxo (APAAC) nem queriam acreditar no cenário que encontraram quando, no dia 2 de Janeiro, entraram numa residência, no centro da cidade, onde uma mulher e mais de cem animais sobreviviam no meio de uma imundície extrema.O caso foi detectado após a dona dos animais, uma senhora com 60 anos que vivia sozinha, ter entregue a chave da sua casa a elementos da associação, para que estes alimentassem os 43 cães, 34 gatos, 4 patos, 1 codorniz, 12 galinhas e 24 pombos. A senhora estava bastante doente e ia ser internada no hospital, o que a levou a pedir ajuda à associação. Assim que se aproximaram do portão da casa situada na rua Stael Machado, os voluntários da APAAC aperceberam-se de imediato do cheiro nauseabundo. Mas o pior foi quando entraram no pátio. Esperava-os um cenário que mais parecia uma lixeira, onde viviam 118 animais, para não falar de dezenas de ratazanas que se passeavam à vontade e se alimentavam da ração destinada aos restantes bichos. Desenvolvimento na edição semanal.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo