Sociedade | 10-02-2005 10:40

Falta de médicos no Centro Hospitalar do Médio Tejo

A falta de médicos pode inviabilizar a entrada em funcionamento este ano dos serviços de Medicina Física de Reabilitação e da Unidade de Cuidados Intensivos no Hospital de Abrantes. A administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) tem colocado anúncios nos jornais para a contratação de clínicos mas nem assim tem conseguido encontrar profissionais interessados.A informação foi deixada pelo presidente do conselho de administração do CHMT – que engloba os hospitais de Abrantes, Torres Novas e Tomar - durante uma conferência de imprensa realizada dia 3 em Torres Novas. “Este é um problema que não depende de nós”, esclareceu o administrador, que garante que vai fazer tudo para ultrapassar a situação. Para além dessas valências, outras especialidades do CHMT lutam contra a falta de médicos, como Pediatria, Medicina Interna ou Anesteologia. “Publicamos anúncios, mas as vagas não são preenchidas. A maior parte das respostas são de profissionais estrangeiros que a Ordem dos Médicos não reconhece e no CHMT não entra nenhum médico que não seja reconhecido pela Ordem”, diz Joaquim Esperancinha.Para Torres Novas tem sido mais fácil encontrar médicos que queiram fazer urgência do que para Abrantes e Tomar. Segundo, Francisco Morgado, director clínico do centro, Torres Novas é o limite da distância para os clínicos vindos dos grandes centros urbanos.“Não podemos obrigar um médico a ir para Tomar ou Abrantes se eles não quiserem”, afirmou acrescentando que tudo farão para que não haja falhas. Mas pode acontecer que a pediatria entre de novo em ruptura em Tomar, tal como aconteceu recentemente.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo