Sociedade | 11-02-2005 10:56

Lixo separado já é reciclado

Cinco anos depois da entrada em funcionamento dos aterros sanitários da região, a reciclagem é finalmente uma prioridade. A central de triagem que permite a separação, acondicionamento e envio para os recicladores dos resíduos provenientes da recolha selectiva já está a funcionar na Chamusca.Doze mãos remexem freneticamente nos pedaços de papel que desfilam lentamente no tapete rolante. Os olhos estão concentrados nas cores. Os brancos para um lado, o cartão para outro. Os resíduos provenientes dos ecopontos descem da sala do primeiro andar por um tubo, para compartimentos situados logo abaixo. É assim todos os dias desde que abriu a central de triagem da Resitejo, na Chamusca.A funcionar há um mês, desde 9 de Dezembro, a central da Associação de Gestão e Tratamento dos Lixos do Médio Tejo - Resitejo está a fazer a separação dos resíduos, encaminhando-os devidamente seleccionados para empresas de reciclagem. Neste momento é o papel que dá mais trabalho às seis funcionárias encarregues da separação. Mas começam a chegar também as embalagens, metais, pilhas, sucatas, madeiras. Segundo as previsões da Resitejo, durante este ano de 2005 devem entrar na estação de triagem 1.300 toneladas de papel e cartão. Ou seja, 42 por cento mais em relação a 2004 em que foram recolhidas 903 toneladas destinadas a reciclagem. O aumento deve-se em grande parte à triagem, já que a Resitejo tinha um contrato com empresas de reciclagem, mas nem todo o papel era encaminhado para essas unidades porque não estava separado.Se quiser saber mais sobre esta notícia consulte a edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo