Sociedade | 11-02-2005 18:48

Motociclistas exigem que carta de carro sirva para as motos

Milhares de motociclistas são esperados domingo numa manifestação em frente à Assembleia da República para exigir a introdução em Portugal de uma Directiva Comunitária que habilita os automobilistas a conduzir motos sem necessidade de licença específica.António Manuel Francisco, vice-presidente da Federação Nacional de Motociclismo (FNM), disse à Agência Lusa que "alguns milhares de motociclistas vindos de todo o país" vão estar presentes na manifestação prevista para domingo às 15:00 em frente à Assembleia da República (AR)."Toda a zona da AR vai estar repleta de motos", afirmou aquele responsável, acrescentando que além de cartazes, os manifestantes vão levar uma "urna de voto na qual os motociclistas poderão votar pela adopção da directiva".Além da ostentação dos cartazes e do acto simbólico do voto, António Manuel Francisco prevê uma manifestação "sem espalhafatos", até porque "o barulho das motos basta para chamar a atenção".O objectivo da manifestação é a introdução no país da Directiva Comunitária 91/439/CE, que dá aos detentores de licenças de condução de veículos ligeiros automóveis (carta B) a habilitação automática para a condução de motos até 125 cc de cilindrada e potência máxima de 15 cavalos.Na opinião de António Manuel Francisco, esta medida traria vantagens como "a maior mobilidade dos cidadãos, o descongestionamento das cidades, diminuição da poluição atmosférica e melhor gestão do espaço urbano".Segundo aquele responsável, esta directiva já foi "adoptada por todos os países da União Europeia, à excepção de Portugal e outro país nórdico".Com esta manifestação, os motociclistas querem "passar uma mensagem muito simples: que esta preocupação faça parte da agenda política dos que vão tomar conta do país a partir de 20 de Fevereiro, e que chegue também aos cidadãos"."É importante que o comum cidadão saiba que pode ter um veículo barato, que lhe permite maior mobilidade e chegar mais cedo a todo o lado, evitando as horas perdidas em bichas, no +pára-arranca+", acrescentou.Ainda no âmbito desta campanha pela promoção do uso de veículos de duas rodas em Portugal, a FNM está a organizar a primeira recolha de assinaturas para uma petição com o mesmo objectivo.As assinaturas para a petição começaram a ser recolhidas a 29 de Janeiro, processo que continuará até ter atingido o mínimo de vinte mil assinaturas.António Manuel Francisco adiantou ainda que até ao momento já foram recolhidas entre oito a dez mil assinaturas e que domingo esta petição (ainda incompleta) será "simbolicamente entregue a um deputado do PSD, Rodrigues Ribeiro, que a levará à AR".

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo