Sociedade | 16-02-2005 16:50

Benavente não quer pagar por edifício que “vale zero”

O presidente da Câmara Municipal de Benavente disse à Agência Lusa que está indignado com o valor pedido à autarquia pelo edifício, em ruínas, do antigo posto da Brigada de Trânsito da GNR do Porto Alto.António José Ganhão (CDU) adiantou que o edifício em causa se encontra completamente degradado, servindo de albergue a toxicodependentes e sem-abrigo, o que retira toda a dignidade a um espaço onde, há mais de três anos, a autarquia substituiu um cruzamento por uma rotunda.Frisando o perigo que a existência daquele edifício representa para a saúde pública e o ar de degradação que dá a um local que a autarquia queria dignificar, António Ganhão disse não compreender como é que a Direcção Geral do Património do Estado (DGPE) pode pedir qualquer valor por algo que "vale zero" e com o qual a autarquia terá ainda de gastar dinheiro.Segundo disse, desde há mais de três anos que a autarquia tem vindo a desenvolver diligências para que o antigo posto da BT lhe seja entregue, passando para domínio público, para ser demolido ou recuperado no âmbito do ajardinamento e embelezamento em curso no local.Foi por isso com surpresa que foi confrontada com o pedido de 60 mil euros pelo edifício, o que contestou, tendo recebido, há pouco mais de uma semana, resposta da DGPE afirmando que vai "reavaliar" o valor pedido.Para António José Ganhão, esta resposta só poder ser "para rir", pelo que a autarquia vai agora pedir ao delegado de saúde para fazer um relatório, "porque, como está, o edifício pode constituir um perigo para a saúde pública", e com ele sensibilizar a administração central para a cedência gratuita daquelas instalações.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo