Sociedade | 03-03-2005 11:01

Criança escondida em parte incerta

Pela segunda vez consecutiva em um mês o casal que retém ilegalmente Esmeralda Porto não compareceu no Tribunal de Torres Novas. Antes de emitir mandados de detenção o juiz decidiu dar uma última oportunidade ao casal, marcando nova audiência para 9 deste mês. “Do que é que os juiz está à espera?”. A pergunta é repetida vezes sem conta por Baltazar Nunes, o pai biológico de Esmeralda Porto, a criança a quem o tribunal lhe deu a guarda mas que continua à guarda de um casal de Torres Novas. Pela segunda vez consecutiva num mês, Luís Gomes e Maria Adelina não compareceram no tribunal de Torres Novas à audiência marcada pelo juiz Domingos Mira para entrega da criança ao pai.Visivelmente revoltado pelo facto de o juiz ter dado uma última oportunidade ao casal de Torres Novas, marcando nova audiência para 9 deste mês, Baltazar Nunes já questionava o seu comportamento exemplar desde o início do processo, em Janeiro de 2004.“O que eu devia ter feito assim que o tribunal me deu a guarda da criança era tê-la ido buscar, nem que fosse à força. Porque a lei está do meu lado”, diz o jovem carpinteiro de Cernache do Bonjardim, concelho da Sertã.E nem o facto do casal ter já pendente sobre si dois processos-crime – um por desobediência ao tribunal, outro por subtracção de menor – atenua a sua dor. “O que eu quero é a minha filha, nada mais me importa”.Se a 9 de Março o casal não comparecer em tribunal com Esmeralda Porto, o juiz irá emitir mandados de detenção em seu nome. Mais desenvolvimento na edição semanal.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo