Sociedade | 09-03-2005 10:25

Um esgoto chamado Almonda

Bocas de esgoto abrem-se para expelir um líquido fedorento e pardo, que faz com que as águas do Almonda mudem de cor ao longo do seu curso. A pouco e pouco as imundices vão-se diluindo e o rio continua a suportar os dejectos das aldeias. O atentado ambiental começa logo depois da nascente, na freguesia da Zibreira, e foi por aí que a concelhia da CDU de Torres Novas iniciou, no sábado, as “Jornadas do ambiente e qualidade de vida no concelho de Torres Novas”.As freguesias da Zibreira e do Pedrógão são duas das autarquias do concelho de Torres Novas onde o poder político ainda não instalou estações de tratamento de águas residuais (ETAR). Os esgotos correm livremente para o rio Almonda poluindo-o logo depois da nascente.Reportagem mais detalhada na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo