Sociedade | 19-03-2005 19:28

PS apresenta ambientalista José Alho como candidato a Ourém

O ambientalista José Alho foi hoje apresentado como candidato do PS à presidência da Câmara de Ourém, um concelho tradicionalmente social-democrata.

"Sou candidato por um imperativo de cidadania", afirmou à Agência Lusa o candidato e actual presidente da Liga para a Protecção da Natureza (LPN), considerando que a sua candidatura se deve à sua "profunda discordância" em relação ao "modelo de desenvolvimento do concelho que tem vindo a ser implementado" pelo executivo social- democrata."Quando se fala em Ourém é sempre pelas piores razões", afirmou, mostrando-se optimista em conseguir conquistar para o PS o concelho de Ourém.Em 2001, o PS ficou a três mil votos do PSD, obtendo três mandatos no executivo municipal, continuando um crescimento contínuo desde 1997."Agora, o objectivo é ganhar, conseguindo mais votos e mais mandatos" que o PSD, explicou este dirigente, que já foi responsável da Quercus na região e presidente do Instituto de Promoção Ambiental.Na sua opinião, o actual presidente da autarquia, David Catarino, tem revelado uma "grande falta de visão estratégica para o desenvolvimento do concelho", o que conduziu à "frustração das expectativas de muitos empresários e munícipes".Como proposta, além de uma política de "desenvolvimento sustentado", José Alho defende a "integração do potencial que são os emigrantes e os ex-emigrantes" do concelho, aproveitando a sua experiência para promover projectos locais.Para o candidato, "muitas decisões camarárias têm sido tomadas de forma casuística", revelando uma "eficácia duvidosa" e que podem "configurar situações ruinosas para o concelho".Exemplo disso é a deslocalização do supermercado Intermarché ou o campo de golfe de Caxarias, afirmou, criticando ainda a "confusão entre o que é público e o que é privado", como acontece na promoção das zonas industriais do concelho.Por outro lado, José Alho considerou que o "pouco apoio da administração central" que se revela no investimento estatal e comunitário do concelho "reflecte a falta de apresentação de propostas eficientes e credíveis".José Alho justificou também o momento do seu anúncio de candidatura com o facto de deixar a liderança da LPN."É uma regra de elementar bom senso" deixar a LPN, afirmou, embora garantindo que sai daquela associação sem qualquer ruptura.Sexta-feira à noite, José Alho deixou formalmente a presidência da LPN, mas ficará ainda à frente da estrutura de forma interina até que sejam eleitos os novos órgãos sociais.Nos seus compromissos de campanha, José Alho promete ainda "dignificar a imagem de Ourém no contexto regional e nacional, afirmando o concelho pela positiva".Por seu turno, Paulo Fonseca, presidente da Federação do PS de Santarém e candidato em Ourém nas duas últimas eleições autárquicas, considerou a escolha de José Alho a "ideal" para conquistar o município."Não sou candidato porque já o fui por duas vezes e o PS de Ourém tem vastos quadros para protagonizar uma candidatura", justificou.Na sua opinião, é "lamentável que Ourém continue no mesmo ritmo de desenvolvimento de há 20 anos", bastando "comparar com concelhos à volta" os níveis de modernização do concelho.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo