Sociedade | 31-03-2005 12:42

Porcos a apodrecer na Ribeira do Cartaxo

Alguns cadáveres de porcos foram encontrados semi-enterrados nas imediações de uma suinicultura da Ribeira do Cartaxo, localidade situada entre o Cartaxo e a zona industrial de Vila Chã de Ourique, por uma pessoa que passeava o cão nas proximidades. Como se não bastasse, oito lagoas de águas residuais daquela unidade estão a drenar detritos directamente numa ribeir..A situação foi detectada quando o seu cão apareceu com um bacorinho morto na boca. A dona seguiu o animal e deparou-se com mais seis leitões e dois porcos adultos em estado de decomposição semienterrados numa vala.Um cenário pouco agradável e que se enquadra num local onde existem oito lagoas destinadas a águas residuais provenientes da suinicultura. Lagoas aparentemente sem protecção que vão despejando detritos de umas para outras até os mesmos serem lançados numa ribeira, que nesta época possui um escasso caudal.Uma equipa do Ministério da Agricultura deslocou-se a semana passada ao local tendo detectado, segundo informação prestada pelo gabinete de imprensa, que a vala criada no exterior na exploração para enterrar as carcaças dos animais, não teria a profundidade adequada. Situação que terá sido posta a descoberto pela presença habitual de cães vadios que cheiraram os animais e os desenterraram.De acordo com o responsável pela Direcção Regional de Agricultura do Ribatejo e Oeste (DRARO), Fernando Madureira, o enterramento de animais é permitido desde que as carcaças fiquem a uma profundidade suficiente para serem absorvidas pela terra, o que não era o caso. Em alternativa as carcaças podem ser entregues em unidades da transformação de sub-produtos.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo