Sociedade | 24-03-2006 09:20

Imigrantes suspeitos de assalto a ourives de Benavente

Três de sete cidadãos de Leste acusados de associação criminosa, furto e roubo em ourivesarias, estão a ser julgados em Condeixa sob forte dispositivo de segurança. Os outros quatro arguidos encontram-se a monte, com paradeiro desconhecido, depois de se terem evadido do Estabelecimento Prisional de Coimbra em Junho de 2005, sendo julgados à revelia.Alguns indivíduos do grupo são suspeitos de envolvimento no assalto à mão armada verificado em Dezembro de 2004 numa ourivesaria de Benavente. Um ano depois a ourivesaria voltou a ser assaltada, o proprietário foi agredido e ainda não recuperou das lesões. A loja está fechada e há um prejuízo acumulado de centenas de milhares de euros.Os sete réus, seis romenos e um moldavo, com idades entre 28 e 33 anos, são acusados de assaltos a outras seis ourivesarias em Alenquer, Carnaxide, Mem Martins, Condeixa-a-Nova, Porto e Vila Nova de Gaia, tendo ainda roubado um automóvel e bens em ouro no valor de 6 mil euros e causado danos avultados numa sapataria de Mem Martins.O tribunal ouviu quatro inspectores da Polícia Judiciária (PJ) e uma técnica superior do Laboratório de Polícia Científica (LPC) que confirmou as conclusões dos relatórios de ADN efectuados a vestígios biológicos deixados pelos arguidos.Segundo os investigadores da PJ, os assaltos eram bem planeados, com boa articulação entre os operacionais, que comunicavam através de telemóvel, e o recurso a três automóveis.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo