Sociedade | 25-03-2006 18:35

Tribunal de Santarém julga linchamento de Amiais de Baixo

O Tribunal de Santarém inicia quarta-feira o julgamento de 11 arguidos, envolvidos num linchamento popular e desacatos na freguesia de Amiais de Baixo que causaram dois mortos, um deles um imigrante ucraniano.No processo, relacionado com factos ocorridos há quase quatro anos, são acusados dez portugueses do crime de participação em rixa, punível até dois anos de prisão, e Ihor Melnyk, suspeito de ter morto em co-autoria um cidadão nacional com uma faca e de duas tentativas de homicídio.Inicialmente, o imigrante ficou em prisão preventiva mas quando expirou o prazo limite da medida de coacção foi posto em liberdade e nunca mais foi localizado pelas autoridades, que suspeitam de ter fugido do país.Assim, na sessão de quarta-feira, são esperados somente os dez portugueses acusados de participação numa rixa.Por explicar está também a morte de um outro ucraniano, Fédir Orlovski, que foi atingido no crânio com um taco de basebol, mas o responsável nunca chegou a ser identificado, refere ainda a Acusação, a que a Agência Lusa teve acesso.Segundo o documento, os problemas começaram num bar daquela vila do concelho de Santarém, a 19 de Julho de 2002, envolvendo quatro imigrantes ucranianos e um grupo de clientes do estabelecimento.Depois de terem consumido várias bebidas alcoólicas e provocado alguns distúrbios, o grupo de ucranianos tentou fugir num automóvel mas foram interceptados um pouco mais à frente pelos clientes e outras pessoas, num grupo que chegou a atingir as cem pessoas.Dois dos ucranianos fugiram a pé mas os outros imigrantes decidiram confrontar os populares com uma faca de cozinha e outra de mato, "prevendo e querendo, ou pelo menos, aceitando tirar a vida a algum dos contendores com o auxílio das mesmas", refere a acusação.Na rixa, Gonçalo Alves morreu vítima de um golpe no tórax e dois portugueses ficaram feridos com gravidade. Os dois ucranianos ainda tentaram fugir mas sem sucesso.No confronto que se seguiu entre os arguidos e os dois ucranianos, Fédir Orlovski morreu vítima de pancadas violentas com um taco de basebol, que lhe causaram "lesões traumáticas" mortais."Todos os arguidos sabiam que as suas condutas são proibidas por lei penal e tinham capacidade para se determinarem de acordo com esse conhecimento", refere a Acusação do Ministério Público. que arrolou 35 testemunhas.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo