Sociedade | 13-04-2006 18:06

Piscinas de Coruche cheias de mazelas

As piscinas municipais de Coruche estão outra vez com problemas. Desta feita, a deficiência detectada reside na elevada condensação e humidade que se gera no interior das instalações.Como recordou o vereador da CDU, Ricardo Raposo, na última reunião do executivo municipal, o ambiente húmido é tão forte no interior do recinto que muito material se vai oxidando e até um tecto em pladur já cedeu.Situações como a criação de estalactites nos tectos e água que pinga do tecto para o chão do corredor de acesso às bancadas da piscina são outros problemas causados pela elevada humidade dentro do recinto.Segundo explicou o presidente da câmara, Dionísio Mendes (PS), já se realizou uma reunião com a empresa projectista FCO, na qual não se fez representar a empresa construtora das piscinas, Teixeira Duarte SA.O projectista da obra apontou falhas no sistema de evacuação de ar que deveria evitar a condensação no interior das piscinas mas que não possui potência suficiente.“A empresa fiscalizadora ficou de produzir um relatório para podermos notificar a Teixeira Duarte para substituir o equipamento por outro mais adequado. Caso isso não suceda será a autarquia a fazê-lo e a enviar a factura à empresa”, avisou Dionísio Mendes.Desde que foram construídas as piscinas municipais de Coruche sempre apresentaram problemas de concepção e de fabrico. Em 2003 (edição de 11 Dezembro de O MIRANTE) dava-se conta da cedência do piso de alguns tanques, com quatro episódios ao longo daquele ano, apontando-se a falta de juntas de dilatação como causa dos problemas.A ruptura no revestimento do piso do tanque de aprendizagem do complexo em Outubro de 2003, quando se preparava a inauguração das psicinas, levou a Teixeira Duarte a propôr a monitorização da estrutura com sensómetros e pisómetros (edição 29 Janeiro 2004). Bem como a colocação de juntas de dilatação, tanto nas paredes como no piso da piscina de 25 metros. Detectados e solucionados, os problemas pareciam ter terminado e em 18 de Setembro de 2004 foram inauguradas oficialmente as piscinas.Concluídas em Abril de 2003, as piscinas de Coruche tiveram um custo de 6,5 milhões de euros, suportados em cerca de 67 por cento pela autarquia coruchense.Ricardo Carreira

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo