Sociedade | 21-04-2006 15:06

Director-Geral de O MIRANTE defende que imprensa deve ser contra poder

O director-geral de O MIRANTE defendeu ontem à noite em Samora Correia que a imprensa regional é a solução para conquistar novos leitores e rejuvenescer a comunicação social portuguesa. Joaquim António Emídio afirmou que os órgãos regionais devem ser contra poder nas regiões onde se inserem.“Tenho orgulho em ser proprietário, director e jornalista de O MIRANTE e acredito na imprensa das regiões”, disse num colóquio que abordou o jornalismo antes e depois do 25 de Abril e que juntou cerca de três dezenas de pessoas. A iniciativa contou com a presença do jornalista e escritor Fernando Dacosta e da jornalista e dirigente sindical Anabela Fino.Os dois veteranos do jornalismo traçaram um futuro negro para o jornalismo português devido à concentração dos órgãos de comunicação social em dois poderosos grupos económicos e à consequente manipulação por parte dos poderes económico e político.Questionado por Fernando Dacosta sobre a eventual hipótese de O MIRANTE ser absorvido por um grande grupo económico, Joaquim Emídio admitiu essa possibilidade, mas mostrou-se convicto que “se isso acontecer vai haver alguém que vai fazer outro projecto poético como este”.O director-geral revelou que parte do sucesso de OMIRANTE se deve ao facto de o jornal ser administrado por jornalistas e não por construtores civis ou empresários de outros sectores que não seja a comunicação social.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo