Sociedade | 27-04-2006 10:04

Ensinar a arte de viver

O antigo refeitório da Metalúrgica Duarte Ferreira vai servir de sala de aulas para os 50 alunos já inscritos na Universidade da Terceira Idade do Tramagal.O célebre cientista Louis Pasteur, doente e imobilizado por uma hemorragia cerebral disse um dia a um amigo – “Tenho tanto que fazer! Há todo um mundo por descobrir”. Maria Oliveira de Matos também acredita que ainda tem muito para aprender. Foi para descobrir coisas novas que se inscreveu na Universidade da Terceira Idade do Tramagal (UTIT), Abrantes.Os 82 anos parecem não lhe pesar nas pernas. No sábado andou cinco quilómetros a pé para assistir à apresentação pública do projecto. “Vim na camioneta das duas e dez, duas pernas e dez dedinhos dos pés”, diz a brincar Maria Oliveira de Matos, moradora na aldeia do Crucifixo.“Estou tão satisfeita por ver o Tramagal a avançar”, refere a idosa, que foi uma das primeiras pessoas a inscrever-se na UTIT. A ginástica foi a primeira disciplina a ser escolhida, “para não enferrujar o corpo”. A seguir veio o português, a culinária, a saúde e a comunicação social.As aulas da UTIT só avançam no próximo mês, mas para Maria Oliveira de Matos podiam começar logo no dia seguinte, tal é a sede de aprender de alguém que, por culpa do destino, só fez a primeira classe.Bem que queria estudar, mas cedo teve de se fazer à vida para ajudar a criar os cinco irmãos. “Deus sabe o martírio que era quando chegava a segunda-feira e tinha de ir guardar a seara de milho miúdo, com um caldeiro atado ao pescoço e uns chocalhos na mão para espantar os pássaros”, diz quem foi colega de carteira de Maria Helena Duarte Silva, grande impulsionadora e benemérita da UTIT.A neta do fundador da Metalúrgica Duarte Silva, agora com 79 anos, veio propositadamente da capital, onde mora, para assistir à cerimónia de apresentação da universidade.Um projecto destinado à terceira idade mas aberto a todos os jovens com mais de 18 anos, como disse Maria Manuela Ferreira, coordenadora da UTIT.É no antigo refeitório da Metalúrgica Duarte Ferreira que os 50 alunos já inscritos irão aprender alguns dos 23 cursos propostos e que vão desde o ensino do português, da matemática e da informática, passando pela culinária, artes e bricolage até às medicinas alternativas.As instalações foram cedidas à Associação de Reformados do Tramagal (ARTRAM), percursora do projecto da universidade. Uma associação que, segundo o presidente da Câmara de Abrantes, Nelson Carvalho (PS), “soube perceber uma boa ideia e realizá-la”.O autarca deixou também uma sugestão aos futuros alunos: “Aproveitem a iniciativa e aprendam o máximo que puderem. Porque apesar de já não terem o pé ligeiro, tenho a certeza que esses olhos continuam bem vivos”.A Universidade da Terceira Idade do Tramagal arranca a sério em Maio. Para combater a solidão e manter activas as capacidades físicas e intelectuais dos idosos da freguesia. E para que quem a frequentar possa não só aprender como também ensinar a “arte de viver”. Para, como Maria Oliveira Matos, mostrar que envelhecer não é uma doença, mas sim um privilégio.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo