Sociedade | 27-04-2006 16:55

Património abandonado na Póvoa

O património histórico da Quinta da Piedade está abandonado. O Oratório de São Jerónimo, a Ermida do Senhor Morto e uma fonte escondida no silvado são apenas alguns exemplos que motivam a revolta dos povoenses. “Aquilo tem 500 anos e está naquele estado, completamente ao abandono.” A indignação parte de Inácio Salvador, morador na Póvoa de Santa Iria há 20 e frequentador habitual da Quinta da Piedade, ao referir-se ao Oratório de São Jerónimo existente na quinta.O Oratório de São Jerónimo é apenas um exemplo do património da Quinta da Piedade que apresenta sinais visíveis de abandono e degradação. A edificação, de origem renascentista, tem já alguns elementos partidos e, neste momento, serve como dormitório para um sem abrigo.Também a Ermida do Senhor Morto aguarda há mais de dois anos pela reabilitação necessária e abertura ao público e entre os silvados uma fonte antiga procura resistir à passagem dos anos e ao desinteresse das autoridades. José João Esteves reside na Póvoa há apenas nove anos, mas a sua curiosidade natural já o levou a explorar, com um olhar atento, o espaço da Quinta da Piedade. Por isso, diz que há muita coisa que está enterrada, “muros antigos e sistemas de rega com muita importância” que deveriam merecer mais atenção por parte da Câmara Municipal de Vila Franca e do próprio Estado. “Se fosse eu que dirigisse isto, mandava fazer o levantamento de tudo o que existe na quinta, para que não se perdesse nada”, conclui.Os elementos enterrados a que o morador se refere fazem parte de um antigo jardim que existiu ao fundo da quinta, na área ainda não intervencionada. Sobre esta questão, o vice-presidente da câmara municipal adianta que está neste momento a ser desenvolvido “um estudo para perceber o que foi esse jardim”, para depois proceder à sua recuperação. Custódio Ribeiro conhece a Póvoa desde que nasceu e, por isso, diz que tem uma grande paixão pela sua terra. Membro da Dom Martinho – Associação para a Defesa e Valorização do Património da Póvoa de Santa Iria, Custódio Ribeiro lamenta o estado de degradação do património da Quinta da Piedade. Entre os elementos que gostaria de ver rapidamente recuperados, está a Ermida do Senhor Morto, do século XVIII, de onde foram retirados as imagens dos santos para serem alvo de beneficiação há mais de dois anos e que ainda não foram recolocadas. O morador adianta que da autarquia veio recentemente a garantia que estava a ser estudada a requalificação do interior da ermida para que as imagens voltem ao local. Inácio Salvador chama ainda a atenção para uma fonte que está escondida entre os silvados. “A fonte é belíssima, toda preenchida com conchas, e é uma pena que as pessoas não a possam ver”, lamenta. O morador defende que a quinta tem um grande potencial turístico “se fosse bem aproveitado”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo