Sociedade | 28-04-2006 17:36

Escola de Desporto de Rio Maior tem novo espaço

O director da Escola Superior de Desporto de Rio Maior revelou hoje que as aulas irão ser transferidas para uma das naves do pavilhão multiusos da autarquia, devido à falta de espaço existente nas actuais ins talações.Esta foi a solução possível depois dos atrasos sucessivos na atribuição de verbas para o novo edifício da Escola, que está em instalações provisórias desd e a fundação, debatendo-se com falta de espaço para desenvolver a sua actividade , explicou à Agência Lusa José Rodrigues, director da instituição. "Nós tínhamos previsto iniciar a construção da escola este ano", recorda J osé Rodrigues, salientando que a instituição não recebeu verbas do Estado para i niciar as obras.Assim, "tivemos de optar por soluções provisórias para continuar o trabalh o de valorização da escola", pelo que foi acordado com a Câmara de Rio Maior con centrar naquele espaço as aulas teóricas da instituição."A Escola Superior de Desporto está numa fase de expansão e precisa de um investimento localizado para garantir capacidade de desenvolvimento", considerou ainda o docente. José Rodrigues espera, em 2007, resolver o problema de falta de instalaçõe s, com a atribuição de uma verba para o novo edifício, mas até à sua construção a escola não tem condições para laborar nas actuais condições precárias. No total, o estabelecimento conta com seis centenas de alunos e é um dos e stabelecimentos de referência no ensino de desporto em Portugal pelo que as actu ais instalações são demasiado reduzidas para a sua actividade normal. Nesse sentido, a escola acordou com a autarquia a cedência de espaços no p avilhão, onde irá instalar estruturas amovíveis para criar dez salas de aula, se rviços e gabinetes, aliviando a pressão sobre as actuais instalações.O objectivo é realizar estas alterações ainda antes do próximo ano lectivo , mas para isso será necessário assegurar apoio financeiro da tutela, através do Instituto Politécnico de Santarém, que ainda não está resolvido."Este tipo de transição ainda envolve alguns custos que ainda são signific ativos e sei que tem havido contactos com o Ministério para fazer esta transferê ncia", explicou ainda José Rodrigues.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo