Sociedade | 05-05-2006 16:05

Trabalhadores da GM pedem intervenção da Igreja

Dois representantes da comissão de trabalhadores da General Motors (GM), em Azambuja, e dois elementos do Sindicato dos Metalúrgicos aproveitaram a presença do cardeal patriarca D. José Policarpo, em Azambuja, para pedir a intervenção da Igreja na questão da fábrica da GM.Os trabalhadores têm esperança de que o Cardeal possa exercer alguma influência, ajudando a impedir que a fábrica da vila feche portas. “Vamos tentar tudo desde o Cardeal ao presidente da República passando pelo presidente da Câmara de Azambuja e pelos deputados”, explicou ao nosso jornal Luís Figueiredo, dirigente da comissão sindical do Sindicato dos Metalúrgicos, que é também funcionário da GM. O cardeal patriarca D. José Policarpo mostrou-se preocupado com a situação dos trabalhadores e solicitou que a comissão o mantenha informado sobre o desenrolar dos acontecimentos.A fábrica da General Motors corre o risco de fechar portas em 2008 caso a produção do Opel Combo seja transferida para a fábrica de Saragoça, em Espanha. No entanto nada ainda está decidido quanto ao futuro da unidade de Azambuja.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo