Sociedade | 16-10-2006 15:18

Requalificação urbana colhe apoio

O projecto de requalificação urbana do centro de Santarém, que prevê um investimento de 12 milhões de euros e a pedonalização do Campo Sá da Bandeira, foi hoje elogiado pelo movimento de cidadãos "Santarém 21".A proposta, apresentada pelo presidente da câmara, Francisco Moita Flores e que ainda irá ser discutida no executivo municipal, prevê um parque subterrâneo perto do centro histórico e a eliminação da grande avenida que atravessa a zona, criando um amplo espaço para peões e desviando o trânsito para uma artéria mais secundária.Em comunicado, o movimento "Santarém 21", que se tem manifestado nos últimos anos pela recuperação do centro histórico, considera que a proposta acolhe grande parte das suas ideias, possibilitando uma "profunda remodelação estrutural e qualitativa da área nobre da cidade".O movimento recorda que já havia recolhido cerca de 2500 assinaturas durante o anterior mandato autárquico, defendendo uma nova "filosofia de reordenamento do espaço urbano, incluindo um estacionamento subterrâneo de grandes dimensões, fundamental para a revitalização do centro histórico e para elevar o nível da qualidade de vida dos munícipes".O projecto da autarquia envolve um investimento total de 12 milhões de euros e deverá ser financiado através da concessão do estacionamento de superfície e subterrâneo a privados.De acordo com o projecto, esta intervenção vem "criar uma grande sala de visitas e eventos, actualmente inexistente na cidade", inspirando-se na palavra "Liberdade", numa alusão à participação decisiva da coluna militar de Salgueiro Maia no 25 de Abril, que partiu de Santarém.Por isso, na alameda para peões que será construída, está prevista a colocação de estátuas alusivas aos "grandes vultos nacionais e internacionais da Liberdade", refere a autarquia no resumo do projecto.O plano de intervenção prevê a eliminação da actual avenida, passando a circulação a fazer-se através de vias junto à actual Rodoviária Nacional, criando um espaço onde será privilegiado "o peão em detrimento do automóvel", com uma alameda com esplanadas e condições para feiras temáticas e um parque infantil.O facto de parte da zona de intervenção do projecto estar classificada pelo Instituto Português do Património Arquitectónico (IPPAR) e a existência de um antigo cemitério islâmico no largo Cândido dos Reis são alguns dos problemas que os promotores do projecto irão tentar ultrapassar durante os próximos meses.As obras deverão ter início em Novembro de 2007, estando prevista a sua conclusão em Junho de 2009.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo