Sociedade | 06-02-2008 14:17

Câmara aceita plataforma logística da Castanheira com reservas

Depois de mais de duas horas de apresentação e troca de argumentos, os vereadores da oposição na Câmara de Vila Franca de Xira não ficaram convencidos com os argumentos dos técnicos que elaboraram o projecto da plataforma logística de Castanheira do Ribatejo. A CDU votou contra o envio para discussão pública do projecto de loteamento "Plataforma logística Lisboa Norte" a construir em Castanheira do Ribatejo e a coligação PSD/CDS-PP absteve-se. A maioria socialista aprovou a aceitação do projecto mas fez várias recomendações na reunião realizada esta quarta-feira, em Vila Franca de Xira.A presidente Maria da Luz Rosinha (PS) vincou a ideia de que a obra, que deve arrancar em 2009, terá de ser acompanhada em permanência com uma equipa de fiscalização municipal e o olhar atento dos eleitos da freguesia da Castanheira do Ribatejo.Após a entrada em funcionamento em 2010, a Plataforma Logística de Lisboa Norte vai criar cinco mil postos de trabalho directos e 12 mil indirectos, segundo adiantou Filipe Caldeira, director técnico da Abertis Logística, a sociedade que vai explorar a plataforma.Na fase de construção, a obra deverá dar trabalho a mais de cinco mil pessoas sendo dada preferência a trabalhadores residentes nos concelhos de Vila Franca de Xira, Azambuja, Alenquer e Benavente. A plataforma irá ocupar uma área de 100 hectares divididos em 520 lotes. A área de construção é de meio milhão de metros quadrados e contempla uma zona maior para logística e outra, mais próxima do acesso rodoviário, para comércio e serviços. O projecto prevê a criação de 11 mil lugares de estacionamento e zonas de estadia e lazer com corredores pedonais e para bicicletas. Filipe Caldeira referiu que está ainda prevista a construção de um hotel e de vários restaurantes.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo