Sociedade | 12-02-2008 14:31

Estudo do dossier da prisão de Santarém é prioritário para a nova directora-geral dos Serviços Prisionais

A nova directora-geral dos Serviços Prisionais, Clara Albino, garantiu hoje que vai lutar por um sistema prisional "orientado para a reinserção social" e prometeu estudar rapidamente os dossiers urgentes, entre os quais o encerramento da prisão de Santarém."A missão da Direcção-Geral dos Serviços Prisionais (DGSP) é garantir um sistema mais humano, justo e seguro, orientado para a reinserção social", afirmou Maria Clara Albino na sua tomada de posse, no Ministério da Justiça, em Lisboa.A antiga presidente do Instituto de Reinserção Social considerou prematura uma tomada de posição a propósito dos protestos (greve de fome) de alguns reclusos contra o encerramento do Estabelecimento Prisional de Santarém e a sua transferência para Évora."Vou rapidamente tomar conhecimento de todos os dossiers e uma coisa que posso garantir é o maior emprenho e dedicação a todos eles", afirmou.Prometendo "rigor, transparência, sensibilidade e afecto", Clara Albino congratulou-se com o facto de o ministro da Justiça, Alberto Costa, ter "desafiado a história ao nomear uma mulher" para o cargo em que foi empossada.A nova directora-geral da DGSP garantiu que vai dar sequência à reforma em curso, "sem prejuízo de alguns reajustamentos considerados necessários e justos".Maria Clara Albino pretende, também, "alargar a capacidade de participação da população prisional", dinamizar a parceria com empresas e incentivar o mecenato para a reintegração social, entre outros propósitos.O ministro da Justiça alertou para a "grande complexidade da área", referindo que as grandes questões da execução das penas são "a massificação, diversidade étnica e multicultural da população reclusa e as penas longas"."É obrigatório empenharmo-nos na ressocialização, para que os reclusos possam sair melhor e não pior", afirmou Alberto Costa.Sobre o novo mapa das cadeias em curso, o responsável pela Justiça disse que se pretende "melhorar as condições de segurança, a ordem e disciplina do sistema prisional, mas também melhorar as conduções de reclusão"."O plano já foi aprovado e implicará, no total, a construção de dez novos estabelecimentos prisionais e a requalificação/ampliação de quatro", entre os quais o Estabelecimento Prisional de Évora.Clara Albino é licenciada em Direito e foi presidente do Instituto de Reinserção Social (IRS) entre Outubro de 2002 e Fevereiro de 2006, depois de ter sido vice-presidente do mesmo organismo entre 1999 e 2002.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Vale Tejo