Sociedade | 13-02-2008 17:30

Câmara processa ex-concessionário do Café Central

A Câmara Municipal de Santarém moveu um processo judicial contra a empresa que teve a concessão do Café Central até Abril último, para tentar ser ressarcida das rendas em atraso e dos prejuízos decorrentes do desaparecimento de mobiliário e equipamento que ali existiam. A informação foi dada pelo vice-presidente do município, Ramiro Matos (PSD), durante a última reunião do executivo.O carismático estabelecimento, situado no centro histórico da cidade, foi arrendado há anos pelo município ao seu proprietário, que tinha intenção de o encerrar. A autarquia abriu um concurso público para a sua concessão e durante os últimos cinco anos conseguiu assim garantir que o espaço continuasse aberto. Mas as coisas não correram dentro das expectativas e, cessada a vigência do contrato em Abril de 2007, a autarquia decidiu lançar novo concurso. E aí começaram as complicações. Primeiro para convencer o concessionário a entregar as chaves do espaço, o que nunca chegou a acontecer. A câmara recorreu ao tribunal para assegurar o direito a aceder ao local, o que foi deferido. A porta foi arrombada e depararam-se com um cenário desolador. O interior encontrava-se sujo, maltratado e a maior parte do mobiliário e dos equipamentos que ali já existia tinha desaparecido.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo