Sociedade | 16-02-2008 09:05

Ministério Público pede condenação para agressores de estudante num comboio

O Ministério Público pediu a condenação de dois jovens de Vialonga acusados de terem agredido um estudante de 18 anos a quem, alegadamente, pretendiam roubar um telemóvel durante uma viagem de comboio entre Alverca e a Póvoa de Santa Iria em Abril de 2007. Nas Alegações finais realizadas no Tribunal de Vila Franca de Xira a procuradora considerou que ficou provado que os dois arguidos usaram a violência, “de certo modo gratuita”, para se apoderarem do telemóvel da vítima. O jovem foi agredido a soco na face e no tronco. O defensor dos jovens, com 17 e 18 anos, considerou que os arguidos estão mal acusados. O advogado defendeu que os rapazes deveriam estar acusados de ofensas à integridade física simples, crime com uma moldura penal mais leve, e pediu a absolvição dos arguidos que não têm outros processos pendentes.Na audiência, realizada a 12 de Fevereiro, o estudante de 18 anos contou que na noite de 30 de Abril de 2007, cerca das 22h00, foi agredido a soco pelos dois arguidos quando negou dar o telemóvel a um dos agressores. A agressão confirmada pelos arguidos e por uma testemunha aconteceu no interior da carruagem.Um dos rapazes trazia um bastão com mais de 30 cm, que não chegou a utilizar porque apareceu o revisor do comboio que pediu calma. “Se o revisor não tivesse aparecido, os estragos teriam sido maiores”, disse o jovem estudante. Quando o comboio parou na estação da Póvoa de Santa Iria, a vítima pediu ajuda a uma patrulha da PSP que mobilizou e identificou os dois arguidos. Os dois rapazes assumiram as agressões que justificaram com um desentendimento mas negaram a intenção de roubar a vítima. O acórdão com a decisão do colectivo de juízes será lido no dia 11 de Março. Os jovens aguardaram o julgamento em liberdade.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo