Sociedade | 22-02-2008 07:38

Ministério Público pede pena severa para violador de empresária

O Ministério Público pediu a condenação com uma pena pesada do homem acusado de ter violado uma empresária na herdade de Pancas, Samora Correia, em Novembro de 2000. A alegada violação aconteceu depois da vítima e um amigo terem sido raptados na Costa da Caparica e mantidos sob sequestro durante mais de cinco horas em que fizeram 300 quilómetros sob ameaça de armas de fogo. O casal foi roubado e deixado fechado no interior de uma carrinha na herdade, mas conseguiu sair e pedir ajuda.Um dos arguidos que está a ser julgado em Benavente, João Lopes, 56 anos, foi condenado na quarta-feira a seis anos e 10 meses de prisão por ter sequestrado o padre capelão na prisão de Pinheiro da Cruz, em Grândola onde cumpria pena por furto. O outro arguido é um sobrinho. Eric François, 30 anos, ajudante de mecânico, residente em Azambuja, negou a participação no sequestro em que, segundo as vítimas, terá havido um terceiro envolvido que não foi constituído arguido neste processo.João Lopes garante que Eric François não participou naquele sequestro e indicou mesmo os nomes e o provável paradeiro dos dois homens que o acompanhavam. Um deles é seu sobrinho e o outro é conhecido e ambos vivem em França. O arguido pediu ao tribunal que promova a sua captura para serem julgados.A leitura do acórdão está marcada para 14 de Março.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo