Sociedade | 25-04-2008 08:12

Canil de Tomar abre sete anos depois

“O canil intermunicipal de Tomar vai abrir esta segunda-feira”. A garantia foi dada a O MIRANTE pelo vereador Ivo Santos (PSD). Agora a tempo inteiro na autarquia, o autarca não quer chamar ninguém à responsabilidade pelo facto de o equipamento continuar encerrado sete anos após a sua conclusão, mas reforça que tecnicamente o canil tem todas as condições para estar aberto. “Não sei de quem é a culpa desta situação mas o mais importante agora não é encontrar culpados e sim pôr o espaço a funcionar”. Sem pompa e circunstância, cerimoniais ou descerrar de placa.Há sete anos que o canil intermunicipal de Tomar está construído. Há cinco a Direcção Geral de Veterinária (DGV) fez a respectiva vistoria. Mas o espaço continua fechado, apesar de já estar devidamente apetrechado com mobiliário, equipamento de escritório e material médico/veterinário. A viatura específica para captura e transporte dos animais, comprada pela autarquia há mais de um ano, encontra-se desde então estacionada no parque dos serviços municipais de limpeza.Ao longo dos últimos anos os responsáveis políticos foram dando várias justificações para a não abertura do equipamento. A morosidade dos actos administrativos e do licenciamento por parte da Direcção Geral de Veterinária, a abertura dos necessários concursos para a compra dos equipamentos e o concurso para a contratação de pessoal foram os argumentos então utilizados. Alguns sem razão de ser, como o da abertura de um concurso para pessoal que nunca chegou a concretizar-se. Em declarações ao nosso jornal, o vereador Ivo Santos diz que além da veterinária, os funcionários serão camarários, adstritos aos serviços de higiene e limpeza.Três meses antes de deixar a autarquia, numa reunião pública do executivo, o então presidente da Câmara de Tomar, António Paiva, considerou “uma vergonha” o facto de o canil ainda não estar em funcionamento e acusou a veterinária municipal que tutelava o assunto de levantar diversas questões e exigir demasiadas autorizações para pôr o equipamento a funcionar, tendo transferido para uma engenheira ambiental a condução do processo. Acusações que a veterinária municipal, Cândida Sapage, retribuiu, afirmando aguardar apenas pelas ordens do autarca para pôr o equipamento a funcionar. Segundo o actual vereador do pelouro o único assunto pendente em relação ao equipamento é a assinatura de um protocolo com o canil intermunicipal de Torres Novas, com vista à incineração dos animais, o que deverá acontecer dentro em breve. Os custos mensais do equipamento rondarão os 3.500 euros, repartidos pelas câmaras aderentes ao projecto - Ferreira do Zêzere, Ourém Tomar e Vila de Rei. A construção do canil intermunicipal de Tomar custou 120 mil euros em 2001, tendo sido metade da verba financiada pelo Governo.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo