Sociedade | 01-07-2008 08:43

Liga quer encontrar “solução justa” com Ministério da Saúde

A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) manifestou ontem, em Santarém, a “disponibilidade total para encontrar a solução justa” na actualização do subsídio pago às corporações de bombeiros para transportar doentes, reiterando a insuficiência da proposta de 47 cêntimos do Ministério da Saúde. “As próximas semanas são decisivas para a viabilização de uma solução”, disse à Agência Lusa o presidente da LBP, Duarte Caldeira, após uma reunião com os presidentes das 18 federações distritais dos bombeiros, em Santarém, realçando o “carácter insuficiente da proposta apresentada à Liga (47 cêntimos)”. O responsável assegurou que apresentará hoje à tutela uma nova proposta com “o preço do quilómetro de 60 cêntimos, mantendo toda a disponibilidade negocial para viabilizar uma solução justa (…), o que não se verifica com a proposta apresentada à Liga pelo Ministério da Saúde”. Duarte Caldeira garantiu que “o transporte de doentes não deixará nunca de ser feito por iniciativa dos bombeiros”, defendendo ainda que “o valor a acordar tenha validade a partir de 01 de Julho de 2008” e que “de imediato se inicie o processo de revisão do protocolo em vigor e respectivo preçário, a aplicar a partir de 01 de Janeiro de 2009”. No entanto, “na salvaguarda do serviço público”, os bombeiros “na defesa da sua capacidade de intervenção, com independência do poder politico”, admitem utilizar “todos os meios que o regime democrático faculta a todos quantos actuam por convicção, por princípios e inspirados pelo interesse geral”, concluiu. A LBP reclama do Ministério da Saúde uma urgente actualização do subsídio por quilómetro pago às corporações dos bombeiros pelo transporte de doentes, em consequência do aumento dos combustíveis e da não actualização desde 2006 dos 40 cêntimos, valor actual.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1351
    16-05-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1351
    16-05-2018
    Capa Médio Tejo