Sociedade | 07-07-2008 14:23

Autarcas satisfeitos com o primeiro ano de funcionamento da Ponte da Lezíria

Os autarcas de Benavente e Alenquer manifestam-se satisfeitos com o primeiro ano de actividade da Ponte da Lezíria, sobre o Tejo, sublinhando a importância de melhorar acessibilidades e acelerar a preparação de documentos de ordenamento do território.Com um investimento de 200 milhões de euros, a ponte inaugurada a 88 de Julho de 2007 registou, até ao final do ano passado (177 dias), um tráfego médio diário de 5.793 veículos, segundo a Brisa, acrescentando que a A10 (Bucelas/Carregado/IC13) registou, durante este período, uma receita de 5,9 milhões de euros.Em declarações à Agência Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Alenquer, Álvaro Pedro, assegurou estar “satisfeito” com a travessia inaugurada a 8 de Julho de 2007, mas recorda que “falta completar o IC11, o IC2 e a variante entre Alenquer e Azambuja para ter total utilidade”.De acordo com o autarca, a decisão do Governo em construir o Novo Aeroporto de Lisboa no Campo de Tiro de Alcochete “pode ter atrasado” a conclusão destes eixos rodoviários."Possivelmente sim, mas os acessos que estavam previstos para o aeroporto na Ota, continuam a ser necessários”, salientou Álvaro Pedro, lamentando “os dez anos de atraso com a mudança da localização do aeroporto, não descansarei enquanto o concelho não for ressarcido”, assegurou.Na outra margem do rio Tejo, o presidente da Câmara Municipal de Benavente, António José Ganhão, também registou a “satisfação com esta grande obra” que considera ser a Ponte da Lezíria. “Há benefícios que resultam numa nova atractividade, com um eixo rodoviário desta importância. No entanto, é obvio que os reflexos não se fazem sentir no imediato”, explicou o autarca.António José Ganhão classifica de “importantíssima” a travessia inaugurada há um ano, admitindo que a mesma tenha tido influência na mudança da localização do aeroporto. “Mas, as medidas preventivas aplicadas à região do Novo Aeroporto de Lisboa e o atraso do Plano Regional de Ordenamento do Território estão a atrasar todo o processo de revisão do Plano Director Municipal, que disponibilizaria áreas para a instalação de novos investimentos”, explicou.Um ano depois da inauguração, a Brisa regista, entretanto, um “balanço positivo” do sistema de cobrança electrónica de portagem, estreado na travessia, que já foi também aplicada na A17 - Auto-estrada do Litoral Centro, na praça de portagem de Mira.A Ponte da Lezíria tem duas faixas de rodagem com três vias, uma extensão de 11.670 metros (dois viadutos e a ponte de 972 metros), entre Carregado (Alenquer) e Benavente, entrando na fase final do último troço da A10 - auto-estrada Bucelas/Carregado/A-13 (Almeirim/Marateca).

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo