Sociedade | 07-07-2008 09:58

Plano de ordenamento da barragem de Magos a marcar passo

O plano de ordenamento da albufeira de Magos, em Salvaterra de Magos, já foi concluído há quase dois anos, mas até à data não foi realizada qualquer obra no local. A barragem tem potencialidades turísticas mas está interdita a banhos e desportos náuticos devido à má qualidade da água. O plano, entregue ao Instituto da Água, aconselha em primeiro lugar a tomada de medidas com vista a evitar a contaminação das águas por cianobactérias e o aumento da fiscalização na área contra a poluição e a destruição da flora existente. Este plano terminado a 20 de Setembro de 2006 teve origem numa resolução do Conselho de Ministros de 2001 (nº 135/2001 de 23 de Agosto) na qual se refere que “é necessário fixar os usos e o regime de gestão compatíveis com a utilização sustentável dos recursos hídricos”. Por se tratar de um plano especial de ordenamento do território, estabelece o documento que com ele se devem conformar os planos municipais e intermunicipais existentes, bem como os programas e projectos para a sua área de intervenção, vinculando entidades públicas e provadas. Quem percorre as margens da barragem verifica o estado de abandono a que esta está votada. Muitos dos caminhos estão destruídos por motos e jipes que usam a zona para fazer desportos todo-o-terreno. A água tem um aspecto sujo e até os pescadores de recreio que aos fins-de-semana param pela zona se queixam da falta de peixe e das cada vez piores condições de circulação na área envolvente à albufeira. Para acabar com situações dessas era preciso que se implementasse o plano rapidamente porque quanto mais tempo passar mais degradado fica o local em que as águas têm como finalidade a rega dos campos, além da sua vocação turística.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo