Sociedade | 11-07-2008 10:23

Câmara de Almeirim só aplicou duas multas por má utilização dos contentores do lixo

Mais de um ano após a entrada em vigor do serviço de fiscalização dos lixos em Almeirim a câmara municipal ainda só multou dois proprietários de estabelecimentos na cidade. O vereador do Ambiente, Pedro Ribeiro (PS), justifica a baixa taxa de penalizações com as acções de sensibilização que têm sido feitas essencialmente junto dos comerciantes e a disponibilização de serviços como a “Camioneta dos Monstros”. Um veículo que recolhe os resíduos de grande dimensão e que não podem ir para os contentores como sofás velhos, máquinas, entre outros. Existe ainda o “Comércio Verde”, um serviço de recolha porta a porta de cartão nas lojas da cidade. Um dos multados foi o dono de um restaurante. Um funcionário foi apanhado em flagrante a despejar restos de peixe e de sopa de pedra no contentor para lixos domésticos sem estarem devidamente acondicionados em sacos. O outro foi o proprietário de uma loja de comércio a retalho no centro da cidade que colocou no passeio junto ao contentor um monte de caixas de cartão que deviam ter sido recolhidas no âmbito do “Comércio Verde” ou colocadas nos ecopontos. Os serviços do município conseguiram detectar o infractor através de indicações que estavam nas caixas onde aparecia o nome do estabelecimento. Desde que se iniciou esta fiscalização específica, em Março de 2007, já foram notificadas centenas de pessoas, mas a autarquia tem optado por na primeira vez não aplicar coimas e apenas avançar com multas em casos em que os prevaricadores reincidem. As coimas a aplicar vão até aos cem euros conforme a gravidade da situação. Pedro Ribeiro reconhece também que é difícil identificar os autores de alguns casos se as infracções não forem detectadas pela fiscalização em flagrante. Por isso já se fizeram reuniões com os responsáveis dos restaurantes da cidade, entre outras iniciativas.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo