Sociedade | 31-07-2008 13:46

Adelina Lagarto já pode sair do concelho

As medidas de coacção a que Adelina Lagarto, mãe afectiva de Esmeralda Porto, estava sujeita foram ontem suavizadas pelo Tribunal de Torres Novas. Adelina é acusada de sequestro e subtracção de menor e estava, desde Março de 2007, impedida de sair do concelho de Torres Novas, encontrando-se ainda obrigada a apresentações diárias no Tribunal, durante a semana, e na PSP, aos fins-de-semana.No despacho, assinado por um juiz que vai integrar o colectivo que a partir de 28 de Outubro começa a julgá-la, Adelina Lagarto é autorizada a ausentar-se do concelho de Torres Novas, para exercer a sua actividade profissional como vendedora de têxteis, mas também para ir à praia. O magistrado chega a sugerir as praias da Nazaré e de Peniche, pela proximidade com a área de residência. Mantém-se a obrigação de apresentações diárias às autoridades. O documento surge em resposta a um pedido do advogado Carlos Pinto de Abreu, na sequência da decisão, de 21 de Julho, da juíza Sílvia Pires. A magistrada ordenou que a menor continuasse à guarda do casal Luís Gomes e Adelina Lagarto. As técnicas da direcção-geral de Reinserção Social que acompanham o caso vão reunir-se, em Tomar, para definir como deve ser cumprido o novo regime de visitas. Nos dias marcados Baltazar Nunes deve ir buscar a menina a Torres Novas para passar o dia com ela.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo