Sociedade | 31-07-2008 09:30

“Os Verdes” chumbam traçados em estudo para variante ferroviária de Santarém

O Partido Ecologista "Os Verdes" (PEV) considera que as duas propostas de traçado para a variante de Santarém da Linha Ferroviária do Norte, em fase de estudo de impacte ambiental, apresentam impactos “muito negativos”.O PEV lamenta que dos cinco traçados alternativos estudados apenas tenham sido colocados dois a consulta pública (que terminou no passado dia 22), precisamente os que considera menos corresponderem aos objectivos inicialmente definidos pela Refer.Francisco Madeira Lopes, deputado e membro da Assembleia Municipal de Santarém, afirmou que "Os Verdes" são favoráveis à alteração do traçado da Linha do Norte junto a Santarém, mas consideram que as alternativas em estudo geram impactos “muito negativos”, sobretudo na Portela das Padeiras, onde será implantada a nova estação.No parecer ao Estudo de Impacto Ambiental que fizeram chegar à Agência Portuguesa para o Ambiente, "Os Verdes" questionam as razões da opção pela construção do túnel na Portela, numa extensão de 463 metros, com a técnica de “cut and cover” (em “trincheira”), que obriga à demolição de habitações, e não com o método da “toupeira”.Por outro lado, consideram que “não foram suficientemente tidos em conta no estudo” os “graves problemas de trânsito” que já hoje afectam aquela povoação na periferia da cidade de Santarém. Questionam ainda por que razão é sempre omitido o “papel multimodal” da estação de Santarém, o que, a não ser considerado, terá implicações na mobilidade de toda a região, afirmou Madeira Lopes."Os Verdes" sugeriram a criação de corredores verdes/barreiras arbóreas para minimizar os impactos visuais e de ruído que sofrerão algumas habitações na Portela das Padeiras, acrescentou.Manuela Cunha, da direcção nacional do PEV, considera que os traçados em estudo para a variante de Santarém são sintomáticos da “alteração radical do papel que o Governo e a Refer traçaram para o sector ferroviário”, lamentando que a Linha do Norte passe a ter “um papel secundário”. Acrescenta que "Os Verdes" reclamavam há muitos anos o desvio da Linha do Norte junto a Santarém, por razões de segurança (devido às derrocadas das barreiras), pelos numerosos acidentes urbanos, nomeadamente na Ribeira de Santarém, e pela redução de velocidade a que os comboios estão obrigados nesta zona.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo