Sociedade | 11-05-2009 17:25

Correios reconhecem incoerência entre alguns códigos postais e respectivas freguesias

A administração dos CTT – Correios de Portugal diz que já foi alertada por algumas autarquias e pela Agência de Modernização Administrativa para algumas situações de incoerência relativas ao código postal, que nem sempre corresponde à freguesia de residência. Uma situação que promete lançara confusão nas próximas eleições, pois quem tira o Cartão de Cidadão fica automaticamente inscrito nos cadernos eleitorais da freguesia para que remete o código postal. O que leva a que haja muitos cidadãos transferidos de freguesia devido à situação. “Os CTT averiguam e analisam com as autarquias/juntas de freguesia e em certos casos corrige-se em conformidade”, diz o assessor de imprensa dos CTT em resposta a questões colocadas por o MIRANTE.Exemplos dessa desconformidade não faltam. Moradores de determinadas freguesias - acontece por exemplo em Achete ou Póvoa de Santarém (Santarém) ou Paialvo (Tomar) - têm códigos postais de localidades de freguesias vizinhas, onde terão de votar pelo menos nas próximas eleições europeias, a 7 de Junho. Um dos casos curiosos passa-se na localidade de Comeiras de Baixo (Santarém), onde a rua principal divide as freguesias de Achete e de São Vicente do Paúl mas o código postal para todos os moradores é o de São Vicente do Paúl. Os autarcas de freguesia têm-se apercebido de casos desses e temem pela perda de eleitores para freguesias vizinhas, para além dos inconvenientes que essa situação pode gerar ao nível de deslocações e tempo gasto pelas pessoas. Na última sessão da Assembleia Municipal de Santarém, o presidente da Junta de Freguesia de Achete, Joaquim Saramago, levantou a questão e disse ter contactado ainda no ano passado os CTT, referindo que não recebeu qualquer resposta até à data. Na passada semana seguiu novo alerta para os CTT.“O código postal é, antes de mais, um processo de descrição criado pelos CTT que pretende auxiliar o processo interno de codificação postal dos Correios e, por conseguinte, dar suporte ao ciclo operativo da autoridade postal. É esse o seu propósito fundador. Na esmagadora maioria das situações, o código postal de sete dígitos acompanha o mapa das freguesias e dos concelhos, mas isso nem sempre acontece”, reconhece o assessor de imprensa dos CTT Fernando Marante. A mesma fonte diz que “é do conhecimento dos CTT que a Agência para a Modernização Administrativa recorre à base de dados do código postal para confirmar os elementos identificativos do endereço apresentados pelo cidadão (Código Postal, nome da artéria/rua e freguesia)”. E que “sempre que a AMA identifica alguma inconformidade comunica a situação aos CTT para análise e respectiva correcção, caso se confirme”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo