Sociedade | 12-05-2009 18:56

Estado Novo investiu no Entroncamento para controlar os ferroviários

Estado Novo investiu no Entroncamento para controlar os ferroviários
O presidente da Junta de Freguesia do Entroncamento, considerado o principal responsável pela sua elevação a concelho em 24 de Novembro de 1945, José Duarte Coelho, usava a “natureza potencialmente subversiva dos ferroviários”, principalmente em anos de eleições, para convencer o Governo a satisfazer algumas das suas reivindicações. A revelação foi feita pelo professor, Henrique Leal, um estudioso da história local, no decorrer de um colóquio em que falou sobre “O Estado Novo e a família ferroviária”.“Numa carta dirigida ao Ministro do Interior, em ano de eleições, José Duarte Coelho, referia um ambiente de descontentamento, fazendo bluff com a tradição reivindicativa dos trabalhadores dos caminhos-de-ferro”, contou o orador, Domingo à tarde, no Centro Cultural do Entroncamento.O Colóquio “Mais de um século de lutas” foi organizado pelo Bloco de Esquerda e decorreu a seguir à inauguração, pelo deputado Fernando Rosas (BE), de uma exposição intitulada “Os ferroviários. História, lutas, futuro” que pode ser visitada até dia 23 de Maio. Para além de Henrique Leal, participaram como oradores, a jornalista da SIC, Ana Geraldes que falou sobre a imprensa operária e sindicalista do início do século XX e Miguel Pérez, investigador que apresentou a comunicação “Os ferroviários e a Revolução”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo