Sociedade | 15-05-2009 17:09

PJ deteve quatro suspeitos de roubo e ofensas à integridade física

A Polícia Judiciária (PJ) de Leiria anunciou a detenção, no concelho de Mação, de quatro homens suspeitos da prática dos crimes de roubo, ofensas à integridade física grave e omissão de auxílio, todos em co-autoria. Em comunicado, o Departamento de Investigação Criminal de Leiria da PJ esclarece que os crimes foram praticados “no início do ano de 2008, na zona de Mação”. Segundo o mesmo comunicado, “um quinto co-autor já se encontra preso pela presumível autoria de outros crimes”.“Os detidos, com idades compreendidas entre os 24 e os 36 anos, foram apresentados às autoridades judiciárias competentes, que os sujeitou a obrigação de apresentação semanal às autoridades policiais”, lê-se no comunicado. Fonte da PJ de Leiria explicou que “os factos remontam a Fevereiro de 2008”, quando “os cinco indivíduos atraíram a vítima, com cerca de 30 anos de idade, conhecida de alguns deles, e que era traficante de droga” com o objectivo de a roubarem. “Desse grupo, havia uma pessoa com uma caçadeira, que acabou por disparar, atingindo o jovem no braço”, acrescentou a mesma fonte.O grupo, sem ocupação conhecida e residente na zona de Mação, assim como a vítima, “levaram o carro e o dinheiro” da vítima, desconhecendo a PJ se terão igualmente ficado na posse de produto estupefaciente. Segundo a fonte da PJ, a investigação demorou mais do que um ano “porque a vítima não foi colaborante”, pelo que foram necessárias mais diligências, culminando a investigação com a reconstituição dos crimes,“A PJ pediu ao Ministério Público (MP) da Comarca de Mação a emissão de mandados de detenção e, quando se procedeu à reconstituição dos crimes, três dos suspeitos acabaram por revelar o que sucedeu, enquanto dois remeteram-se ao silêncio”, referiu esta fonte da Judiciária de Leiria, esclarecendo que na reconstituição participou igualmente um magistrado do MP.O responsável admitiu que, no âmbito da formulação do despacho de acusação, o crime de ofensas à integridade física grave pode evoluir para homicídio na forma tentada, atendendo a que a vítima ficou com o braço inutilizado.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo