Sociedade | 04-01-2010 17:28

Segurança Social aprova construção de dois novos lares em Abrantes

A Segurança Social de Santarém aprovou para 2010 a construção de dois novos lares para idosos em Abrantes, equipamentos que representam um investimento na ordem dos 4,4 milhões de euros.Aprovada no âmbito do Programa Operacional do Potencial Humano (POPH), a construção das duas infraestruturas, um na cidade de Abrantes, com um investimento de 2,5 milhões de euros, e outro na freguesia de Pego, com investimento de 1,9 milhões de euros, vão possibilitar o alargamento da oferta em 120 novas camas e criar 65 postos de trabalho, segundo contas apresentadas à Lusa pelos seus responsáveis.Segundo o coordenador do Centro Social Inter-paroquial de Abrantes, Cónego José da Graça, o novo lar para idosos vai ter capacidade para acolher 60 pessoas e vai ser construído “de raiz” na Encosta da Barata, em local que a autarquia havia cedido para a construção de uma nova igreja, “pela muita falta que faz”.“Mesmo com a entrada em funcionamento deste novo lar, o défice na oferta vai continuar a existir”, afirmou o religioso. “O investimento apresentado é de 2,5 milhões de euros mas o financiamento de 60 por cento da Segurança Social rondará o 1,2 milhões de euros, uma vez que incide sobre pouco mais de dois milhões, o valor legível e comparticipável”, afirmou.Contas feitas, o Centro Social Inter-paroquial de Abrantes, que emprega actualmente 100 pessoas, vai investir 1,3 milhões de euros e criar 40 novos postos de trabalho no novo lar de idosos, valência que se junta a uma creche, um jardim-de-infância, um centro de acolhimento temporário para crianças e ao programa “Recordar é Viver”, direccionado para a população sénior do concelho. O outro lar aprovado para Abrantes, com investimento de 1,9 milhões de euros e capacidade para 57 camas, será construído entre 2010 e 2013 na freguesia do Pego, nas imediações do local onde hoje funciona um centro de dia, uma creche e jardim-de-infância.António Gomes Mor, presidente da direcção do Centro Social do Pego, disse à agência Lusa que a aprovação do projecto pela Segurança Social teve “um sabor muito especial afirmando que o mesmo “representa um investimento muito significativo e que vai ajudar a resolver um problema gritante em termos de oferta a este escalão etário, atendendo a que Abrantes apresenta um nível muito baixo em termos de cobertura ”.Com um prazo de construção de três anos, com a entrada do novo lar em funcionamento serão criados mais 25 postos de trabalho, a maioria dos quais qualificados, que se juntarão aos 42 que laboram nas valências já existentes.O responsável pelo Centro Social do Pego afirmou que a sustentabilidade das várias valências “passa pela qualidade técnica, financeira e de serviços”, acrescentando que o novo lar para idosos vai contribuir para “suprir em parte uma lacuna existente em Abrantes” e “cumprir um serviço de abrangência” às 19 freguesias do concelho.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo