Sociedade | 08-01-2010 09:39

Serviços municipalizados cortam água a família carenciada de Tomar

Serviços municipalizados cortam água a família carenciada de Tomar
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Tomar cortaram a água à família carenciada residente no Bairro do Património dos Pobres, em Marmelais, Tomar, que recebeu uma factura de água no valor de 3.299,89 euros no passado mês de Setembro valor que, entretanto, foi reduzido para quase metade (1.727, 43 euros) na sequência da intervenção de uma técnica de acção social da autarquia. Os serviços não encontraram qualquer anomalia no contador de água pelo que dizem que o valor da factura resulta apenas do consumo feito pelo agregado familiar, composto por dois adultos e três menores de 9, 14 e 15 anos. A família, por seu lado, nega que tenha gasto tanta água até porque dizem que só abrem a torneira para cozinhar e tomar banho. Paula Gândara encontrava-se a estender roupa no quintal, cerca do meio-dia de quinta-feira, 7 de Janeiro, quando viu chegar o funcionário do SMAS, confirmando o seu maior receio. O corte deveu-se ao não pagamento de uma factura no valor de 192.97 euros, relativa ao mês de Novembro. Também no dia 4 de Janeiro deveria ter pago o valor de 71,98 relativo à primeira prestação de 24 mensalidades em que a dívida foi dividida. Para voltar a ter água em casa terá que pagar agora 255,44 euros, onde se inclui a taxa de ligação do serviço. Os serviços de Acção Social de Tomar encontram-se a acompanhar esta família que vive com pouco mais de 200 euros fruto do rendimento social de inserção. Não pagam qualquer renda de casa. Armando Gândara não trabalha nem está inscrito no Centro de Emprego, já a mulher frequenta um curso de formação.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo