Sociedade | 18-01-2010 16:42

Comunidade cigana manifesta-se à porta da Câmara de Tomar

Cerca de duas dezenas de mulheres e crianças da comunidade cigana de Tomar manifestaram-se ao início da tarde desta segunda-feira, 18 de Janeiro, em frente ao edifício da câmara municipal. Exibindo cartazes com reivindicações, munidos de tachos e panelas, protestaram ruidosamente, cerca de uma hora, contra as faltas de condições das barracas onde habitam, no bairro do Flecheiro. “Não temos água potável, não temos saneamento básico e as nossas crianças têm vergonha de ir à escola”, protestava Leonor Bruno, porta-voz do grupo. O presidente da Câmara de Tomar, Côrvelo de Sousa (PSD), falou com o grupo de manifestantes durante alguns minutos, explicando que terá uma resposta aos seus anseios daqui “a quatro, seis meses”. A PSP foi chamada ao local mas não houve necessidade de agir. Em Outubro de 2007, a autarquia, na altura com a presidência de António Paiva (PSD), aprovou um projecto de arquitectura que previa a construção de 39 fogos na zona Industrial com vista ao realojamento das famílias de etnia cigana que, no entanto, ainda não saiu do papel. Notícia desenvolvida na edição semanal

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Médio Tejo