Sociedade | 25-01-2010 14:12

Onze bombeiros de Coruche dormem há seis meses na sala de convívio do quartel

Onze elementos do corpo de Bombeiros Municipais de Coruche estão a dormir, há seis meses, na sala de convívio do quartel depois de, em Julho de 2009, a estrutura da cobertura da camarata masculina ter abatido parcialmente. Por razões de segurança, os bombeiros foram colocados na sala de convívio do velho quartel no que seria uma solução provisória, mas já passou meio ano. Os barrotes de madeira que suportam a cobertura em telha vã do piso acima da camarata masculina estão apodrecidos, enquanto o telhado tem vários abatimentos ao longo de todo o edifício. Dezasseis beliches foram temporariamente montados na sala onde os operacionais costumam ver televisão e conviver. Desde a mudança que o funcionamento da sala fecha às 22h00 quando antes os bombeiros podiam descontrair até à meia-noite.No anterior mandato, o vice-presidente da câmara, Joaquim Serrão, afirmava que a reparação da estrutura da cobertura devia ser feita após as Festas de Coruche, em Agosto, mas nada foi iniciado. O actual vice-presidente da autarquia, Francisco Oliveira, reconhece que o estado da estrutura é mau de um quartel degradado com o passar dos anos. “Vamos fazer nova avaliação da estrutura. Caso se verifique que está no mesmo estado poderemos vir a colocar uma estrutura metálica provisória com capacidade de estancar chuva e que garanta a segurança dos bombeiros”, referiu o vereador a O MIRANTE, admitindo que não se pode esperar pela construção do novo quartel dos bombeiros, em Santo Antonino.O comandante dos Bombeiros Municipais de Coruche, Rafael Rodrigues, já dissera a O MIRANTE que a degradação do quartel evidenciava a necessidade urgente de dispor de novas instalações. Referia também que, a juntar-se à antiguidade do quartel, a passagem das viaturas dos bombeiros de grande tonelagem por baixo das camaratas causa grande trepidação no edifício. Recorde-se que a Câmara de Coruche lançou concurso público para a empreitada de construção do novo quartel dos bombeiros municipais em 2 de Outubro de 2009 com um preço base de procedimento de 1.066.837,26 euros e prazo de um ano para construção. O terreno escolhido fica em Santo Antonino, junto ao depósito elevado, no seguimento da rua das escolas EB 2/3 e Secundária.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1355
    13-06-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1355
    13-06-2018
    Capa Médio Tejo