Sociedade | 15-09-2010 13:58

Morte de operário na construção da Junta de Benfica do Ribatejo chega a julgamento sete anos depois

O empreiteiro que construiu a nova sede da Junta de Freguesia de Benfica do Ribatejo e o director técnico da obra vão responder pela morte de um trabalhador da construção civil durante a execução dos trabalhos. O caso está para julgamento no Tribunal de Almeirim, sete anos depois da tragédia motivada por falhas de segurança. Os arguidos estão acusados do crime de infracção de regras de construção agravado pelo resultado morte, que é punido com prisão que pode ir até aos dez anos e oito meses. No topo do edifício em construção passava uma linha eléctrica de média tensão, mas o plano de segurança e saúde da obra não fazia qualquer referência específica ao risco de electrocussão. No entender do Ministério Público, o documento devia conter uma descrição detalhada da avaliação dos riscos e as medidas de prevenção que deviam ser observadas. E no dia 10 de Julho de 2003, por volta das 16h00, o servente de pedreiro Carlos Fernandes encontrava-se na cobertura do edifício a executar trabalhos preparatórios para a colocação do telhado. Nessa altura tocou com uma régua metálica na linha eléctrica e foi atingido por uma descarga que lhe provocou chamas no corpo.NOTÍCIA DESENVOLVIDA NA EDIÇÃO SEMANAL EM PAPEL DESTA QUINTA-FEIRA

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1351
    16-05-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1351
    16-05-2018
    Capa Médio Tejo