Sociedade | 17-09-2010 00:22

Vendedores da Feira de Antiguidades do Cartaxo à rasca

Os vendedores da Feira de Antiguidades do Cartaxo estão indignados com a câmara municipal porque, dizem, não têm condições para trabalhar naquela cidade. Segundo explicaram a O MIRANTE, há “mais de dois meses” que as casas-de-banho públicas estão fechadas e os comerciantes estão o dia todo sem poder fazer as suas necessidades fisiológicas. A Feira de Antiguidades realiza-se ao segundo domingo de cada mês junto ao mercado municipal da cidadeO MIRANTE esteve no local e comprovou que, além do cheiro nauseabundo que vem dos sanitários, estes estão encerrados com um papel na porta a explicar que os mesmos se encontram fechados “por motivos de vandalismo”. Maria do Sameiro Almeida, que faz esta feira há 14 anos, explicou que esteve desde as 05h30 da manhã, altura em que chegou ao local de venda, até às 15h00 sem fazer necessidades. “Como já não aguentava mais fiz num balde que a minha filha tem dentro da carrinha porque não temos onde fazer. O mercado municipal está fechado, por isso não podemos utilizar as casas-de-banho”, lamenta a feirante.Outra feirante disse que foi às instalações da Polícia de Segurança Pública pedir para utilizar a casa-de-banho. “É uma vergonha, não há condições. Quando cheguei à esquadra e disse o que queria, os guardas ficaram surpreendidos, mas lá me deixaram utilizar os sanitários”, refere, sem querer ser identificada.Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE desta quinta-feira.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1351
    16-05-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1351
    16-05-2018
    Capa Médio Tejo